A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) estima que o setor de comércio e serviços seja impactado negativamente em mais de R$ 100 bilhões nos próximos meses devido ao coronavírus. A projeção tem como premissa a normalização das atividades a partir de maio. Segundo a instituição, caso os efeitos da pandemia avancem além desse período, o impacto poderá ser ainda maior no setor. 

“O pacote de medidas anunciado pelo governo federal no dia 18 de março trouxe importantes avanços para que os empresários mantivessem a viabilidade das suas empresas. A CNDL trabalha junto ao Governo Federal nos ajustes necessários que devem ser feitos para que não ocorra o fechamento de milhares de postos de trabalho”, informou a CNDL.

Entre os pontos que a CNDL acordou junto ao governo estão a suspensão, por três meses, da cobrança do ISS e do ICMS sobre a comercialização de produtos e serviços, para micro e pequenas empresas; a suspensão do contrato de trabalho com acesso ao seguro desemprego; a suspensão do recolhimento do FGTS por três meses; a suspensão de empréstimos por 60 dias e da execução dos protestos em cartório pelo prazo de 60 dias; entre outros.

“A CNDL manifestou sua posição em defender o fechamento geral do comércio de todo o Brasil durante o período de avanço do vírus, com exceção de serviços básicos, como supermercados e farmácias, que devem funcionar com regras de utilização para que se evitem aglomerações. A medida diminuirá o avanço do vírus e possibilitará o retorno das atividades o mais rapidamente possível. Enquanto houver pessoas nas ruas, o vírus continuará avançando”. 

Fonte: Portal Correio

Foto: Secom/PB