Author

João Moura

Browsing

Após quatro horas de paralisação, os ônibus voltam a circular em João Pessoa. A informação foi confirmada pelo twitter oficial da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana da Capital (Semob-JP).

Ainda de acordo com a Semob-JP, o trânsito já flui bem em todos os corredores anteriormente afetados pela paralisação.

O Sindicato dos Motoristas, responsável pela paralisação, cobra o pagamento de salários atrasados, melhores condições de trabalho e uma reformulação no sistema de transporte na Capital. Não há informações sobre a feitura de um acordo.

Fonte: Paraíba Já

Com o final do casamento, Lisa Batstone assassinou a própria filha para se vingar do ex-companheiro , Gabe Batstone. O caso aconteceu em Surrey, British Columbia, no Canadá.

A menina Teagan, de 8 anos, foi assassinada por asfixia pelas mãos de Lisa, que tentava evitar que a guarda da criança ficasse sob responsabilidade do pai.

Mas a polícia foi acionada para atender um caso relacionado à acidente no trânsito. Um automóvel tinha colidido dentro de um beco sem saída. O carro era o de Lisa e, no porta-malas, estava o corpo de Teagan.

A colisão foi uma tentativa de Lisa tirar a própria vida após ter matado Teagan. O impacto não foi capaz de causar morte. Lisa foi encontrada com o cadáver da filha. A princípio, a polícia local acreditou que a morte da criança teria sido provocada pelo acidente, mas peritos perceberam que a colisão foi pequena para esse tipo de consequência.

A confissão de Lisa sobre o assassinato da filha aconteceu enquanto a polícia apurava o caso da colisão. Ela confessou ter matado a filha e alegou que merecia morrer, por isso, teria tentado suicídio com o próprio carro.

Segundo informações apuradas pelo Mirror, Lisa enviava diversas mensagens para Gabe durante o dia, a ponto do ex-marido passar a responder todas as demandas apenas uma vez por semana, de tanto conteúdo que encaminhado via e-mail e telefone.

O comportamento de Lisa estava fora de parâmetros normais cerca de seis anos após a separação. A maior vítima era a criança, que sofria com alienação parental.

O crime cometido contra Teagan foi planejado por Lisa, levando em consideração as provas encontradas pela polícia no local do crime, segundo apurou o Mirror.

A justiça canadense condenou Lisa a prisão perpétua pelo assassinato de Teagan.

Fonte: IG

Um avião de pequeno porte, prefixo PR-ETJ, caiu na manhã desta segunda-feira (21), na esquina das ruas Minerva com Belmiro Braga, no bairro Caiçara, na Região Noroeste de Belo Horizonte, mesma região onde um avião caiu em abril deste ano. Segundo o Corpo de Bombeiros, o acidente deixou três mortos e outras três pessoas ficaram feridas.

O acidente aconteceu em um bairro residencial, a 1,3 km da cabeceira do Aeroporto Carlos Prates, de onde a aeronave tinha acabado de decolar com destino a Ilhéus. Muita fumaça preta tomou conta da região. O local é o mesmo onde, em 13 de abril, caiu um avião e deixou um morto.

O acidente aconteceu próximo a uma academia. Foram ouvidas pelo menos duas explosões. O local está isolado.

Fabricada em 2007, a aeronave é da marca Cirrus, tinha capacidade para 3 passageiros e estava autorizada a voar, mas não poderia ser usada para prestar serviços de táxi aéreo. A próxima inspeção anual de manutenção estava prevista para agosto de 2020.

‘Muita explosão’

Morador da rua onde o avião caiu, o servidor público Carlos Henrique Pacheco Diniz, de 37 anos, ouviu o momento da explosão. “A gente tentou a apagar o fogo, teve muita explosão e não deu para ajudar mais”. Segundo ele, dois ocupantes entraram andando em uma casa.

“Eu estava em casa e ouvi um estrondo. Eu sai e vi o primeiro minuto”

Outro acidente no mesmo local

No dia 13 de abril deste ano, um avião caiu na mesma rua. Na ocasião, o piloto Francisco Fabiano Gontijo morreu carbonizado. A aeronave pegou fogo e bateu no portão de uma casa. A fiação da rede de energia elétrica foi atingida e deixou moradores do entorno sem luz.

De acordo com Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o avião havia decolado do Aeroporto Carlos Prates, também na Região Noroeste. Pelo registro de voo, o pouso seria feito no mesmo local.

Fonte: G1

Fotos: Raquel Freitas/G1 e TV Globo

Motoristas de transportes coletivos de João Pessoa param as atividades e bloqueiam as imediações da Lagoa do Parque Solon de Lucena, na manhã desta segunda-feira (21). Segundo o presidente do Sindicato dos Motoristas da Paraíba, Antônio de Pádua, o motivo da manifestação é o atraso de pagamento de salário por parte das empresas. O protesto começou por volta das 8h45 e não há previsão de horário para término.

A orientação dada aos motoristas de ônibus é de que, ao chegar à Lagoa, eles não abram as portas de embarque de passageiros. Além do atraso no pagamento de salários, a classe reclama da concorrência com transportes clandestinos, mototáxis e transportes por aplicativos. O sindicato fala também em falta de fiscalização pelos órgãos públicos.

Imagens registradas pelo circuito de monitoramento da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP) mostram a concentração de veículos no local do protesto.

O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros (Sintur), Isaac Júnior, confirmou que há atraso no pagamento dos salários. Ele informou que está no local da manifestação para negociar com o sindicato que representa os trabalhadores.

Fonte: Portal Correio

Foto: Semob

O governador João Azevêdo se reúne nesta terça-feira (22) com representantes de órgãos e instituições ligadas ao meio ambiente – estadual e federal –, bem como das prefeituras dos municípios do Litoral paraibano, para discutir a situação das manchas de óleo nas praias nordestinas e traçar estratégias de ações no caso da Paraíba ser atingida pelo problema. A reunião está prevista para as 9h, no Salão Azul do Palácio da Redenção.

Participarão da reunião as Secretarias de Estado da Infraestrutura e do Meio Ambiente e da Comunicação Institucional, Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Gabinete Militar, Capitania dos Portos, 1º Grupamento de Engenharia, Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Ibama, ICMBio e Petrobras, além das Prefeituras de  Pitimbu, Conde, João Pessoa, Cabedelo, Lucena, Rio Tinto, Baía da Traição e Mataraca.

Embora no momento não haja notícias de manchas de óleo e o litoral da Paraíba ter sido o menos afetado por esse desastre ambiental, tendo em vista a formação das nossas correntes marítimas, o Governo do Estado vem se preocupando com o agravamento da situação nas praias do Nordeste, especialmente após o aparecimento de novas manchas no litoral de Alagoas e Pernambuco.

A Paraíba, inclusive, possui um grupo de trabalho, composto por representantes da Sudema, Capitania dos Portos, Ibama, ICMBio, Prefeituras de Conde, Cabedelo e João Pessoa, que faz acompanhamento e monitoramento diário do litoral, contando também com a colaboração dos donos de marinas, catamarãs e pescadores. Acompanhado por biólogos, o grupo realizou mergulhos, nos dias 14, 15 e 16 deste mês, em áreas de corais constatando que não há manchas de óleo.

Conforme relatório da Sudema, o primeiro caso noticiado da presença de óleo nas praias do litoral da Paraíba foi no município do Conde, no dia 30 de agosto, quando nove praias (Tambaba, Arapuca, Coqueirinho, Tabatinga, Carapibus, Jacumã, do Amor, Gramame e Barra de Gramame), numa extensão de aproximadamente 20 km de orla, foram atingidas por fragmentos de óleo cru. Logo em seguida, no dia 1º de setembro, as manchas atingiram a Praia do Bessa, em João Pessoa, e mais quatro praias no município de Cabedelo.

O relatório da Sudema atesta ainda que as praias atingidas naquele momento estão próprias para o banho, bem como livres do material (óleo cru) depositado na areia. Os testes de balneabilidade constatam também  que o evento não trouxe repercussões à qualidade da água no litoral paraibano.

Fonte: Mais PB

Um homem de 50 anos foi agredido com uma barra de ferro, na noite deste domingo (20), em João Pessoa. A vítima conseguiu correr e pediu ajuda em um posto de combustível, no bairro da Torre. 

Testemunhas informaram que a vítima chegou ao local ferido e pedindo ajuda, e que ele estaria assistindo uma partida de futebol quando foi atacado. 

O Samu foi acionado para socorrer o homem. De acordo com um dos socorristas, o paciente estava consciente, porém apresentava desorientação. A vítima sofreu lesões nas costelas, fratura na mão, corte no supercílio e laceração. 

A Polícia Militar também foi acionada e alegou que a vítima apresentava sinais de embriaguez.

O motivo da agressão e o responsável por ela não foi informado. 

Fonte: Click PB

A Polícia Rodoviária Federal prendeu na noite de ontem, sexta-feira (18), um homem com 2 kg de cocaína durante abordagem no município de Mamanguape. Foi a segunda prisão no mesmo dia por tráfico de drogas realizada no mesmo local pela PRF.

A abordagem ocorreu na BR 101, km 38, a um veículo Cobalt que seguia de Natal para Recife. A droga estava escondida embaixo do banco do traseiro do veículo. No momento da fiscalização, o condutor, um homem de 24 anos, ficou muito nervoso, elevando a suspeita dos policiais, que realizaram uma fiscalização minuciosa ao veículo, localizando a droga escondida.

A PRF vem intensificando as ações de combate ao crime em todo o Estado da Paraíba com reforço na fiscalização.

Fonte: PB Agora

O Governo do Estado publicou, neste sábado (19), edital para contratação de 189 servidores temporários para atuação nos Centros de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) em várias regiões da Paraíba.

De acordo a publicação no Diário Oficial do Estado (DOE), as vagas ofertadas são de coordenador (a), advogada(o), assistente social, educador social(a), psicóloga(o), auxiliar administrativo e motorista. Ambos serão lotados na Secretaria de Desenvolvimento Humano do Governo João Azevêdo.

O processo seletivo simplificado terá validade de 12 (doze) meses, a contar de janeiro de 2020 podendo ser prorrogado por igual. A escolha dos profissionais será realizada por meio de currículo, prova de títulos, carta de intenções e entrevista oral.

O candidato precisa comprovação do grau de escolaridade pertinente à função a qual deseja concorrer, não ter praticado crimes contra mulheres, crianças e adolescente, idosos e pessoas com deficiência, público LGBTQI+ e homem.

Número de vagas

Número de vagas por cidades

Cronograma do processo seletivo

Fonte: Mais PB

Um homem foi morto a facadas na manhã desta sexta-feira (18), em Campina Grande. De acordo com o comandante do 10º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Francimar Vieira, o suspeito do crime é o irmão da vítima, que teria esfaqueado o irmão após uma discussão entre eles por causa de uma xícara de café. O suspeito, que também ficou ferido, foi socorrido e levado para o Hospital de Emergência e Trauma da cidade.

O caso aconteceu por volta das 9h, no bairro Monte Castelo. Conforme o comandante da PM, a vítima, que é vendedor ambulante, teria chegado na casa do irmão para pegar uma garrafas que iria vender na cidade. Ao entrar no local, a vítima teria entrado em uma discussão com o irmão por causa de uma xícara de café.

“Tudo hoje é cercado de intolerância. Infelizmente, o irmão matou o outro por causa de uma besteira, uma xícara de café. Eles entraram em luta corporal, a vítima foi atingida com três facadas na região do pescoço e morreu ainda no local. O suspeito do crime foi levado para o hospital, mas já recebeu alta e está sendo levado para a Central de Polícia Civil”, informou Francimar Vieira.

O corpo da vítima foi encaminhado ao Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) de Campina Grande. Conforme a polícia, o suspeito, identificado como Davi, já tem passagem pela polícia. Até as 11h desta sexta-feira, o homem já havia recebido alta médica e havia sido conduzido à Central de Polícia para esclarecimentos do caso.

Fonte: G1 PB

O ex-zelador de uma escola particular foi condenado pela Justiça por participar dos casos de estupro praticados contra crianças e adolescentes dentro do banheiro do colégio. O julgamento aconteceu na última segunda-feira (14), em João Pessoa. A condenação foi de 24 anos e seis meses de reclusão em regime fechado.

Em nota, o Colégio Geo reforçou que “diante do fato, de imediato, a escola orientou os pais dos menores a procurarem a polícia, entendendo que esse era um caso para tal, em sequência, fez o desligamento do então acusado, preservando o sigilo da investigação, uma vez que ela ocorre em segredo de Justiça” e que a escola fez a “ampliação do número de câmeras, aperfeiçoou o sistema de acesso ao interior da escola, tanto para funcionários, como para alunos e visitantes, contratou seguranças para áreas externas e formou comitês com representação dos pais”.

No dia 11 de março, três adolescentes foram apreendidos em João Pessoa suspeitos de estuprarem uma criança de oito anos dentro de uma escola particular. As apreensões aconteceram em decorrência de mandados judiciais após processo que tramita em segredo de justiça desde maio de 2018. O ex-zelador suspeito de participar nos estupros foi preso no dia 15 de março.

O processo dos três adolescentes apreendidos também já foi concluído. Quatro adolescentes foram condenados, no dia 24 de abril, pelo juiz da 2ª Vara da Infância e Juventude em João Pessoa, Luiz Augusto Souto Cantalice, pelo ato infracional análogo ao crime de estupro de vulnerável. Um deles está foragido. Eles foram condenados à pena de internação, que prevê reanálise da necessidade da manutenção, no máximo, em 06 meses.

Pelo menos quatro crianças e adolescentes foram tratadas como supostas vítimas do caso. A investigação seguiu em segredo em justiça.

Primeiro caso

investigação começou em maio de 2018, com a denúncia da primeira vítima, uma criança de 8 anos, que disse ter sido estuprada dentro do banheiro do colégio Geo. O processo começou a tramitar em segredo de justiça desde o primeiro depoimento.

Os abusos vieram à tona após a mãe de uma das vítimas receber um aviso da escola que comunicava que o filho dela estava indo com muita frequência ao banheiro. Além disso, a criança também passou a ter um “comportamento agressivo e também choroso”. “Em conversa com a mãe, a vítima contou sobre os abusos e a investigação foi iniciada”, disse a delegada Joana D’arc Sampaio.

Fonte: G1 PB

Foto: TV Cabo Branco