Category

BRASIL

Category

Um avião de pequeno porte, prefixo PR-ETJ, caiu na manhã desta segunda-feira (21), na esquina das ruas Minerva com Belmiro Braga, no bairro Caiçara, na Região Noroeste de Belo Horizonte, mesma região onde um avião caiu em abril deste ano. Segundo o Corpo de Bombeiros, o acidente deixou três mortos e outras três pessoas ficaram feridas.

O acidente aconteceu em um bairro residencial, a 1,3 km da cabeceira do Aeroporto Carlos Prates, de onde a aeronave tinha acabado de decolar com destino a Ilhéus. Muita fumaça preta tomou conta da região. O local é o mesmo onde, em 13 de abril, caiu um avião e deixou um morto.

O acidente aconteceu próximo a uma academia. Foram ouvidas pelo menos duas explosões. O local está isolado.

Fabricada em 2007, a aeronave é da marca Cirrus, tinha capacidade para 3 passageiros e estava autorizada a voar, mas não poderia ser usada para prestar serviços de táxi aéreo. A próxima inspeção anual de manutenção estava prevista para agosto de 2020.

‘Muita explosão’

Morador da rua onde o avião caiu, o servidor público Carlos Henrique Pacheco Diniz, de 37 anos, ouviu o momento da explosão. “A gente tentou a apagar o fogo, teve muita explosão e não deu para ajudar mais”. Segundo ele, dois ocupantes entraram andando em uma casa.

“Eu estava em casa e ouvi um estrondo. Eu sai e vi o primeiro minuto”

Outro acidente no mesmo local

No dia 13 de abril deste ano, um avião caiu na mesma rua. Na ocasião, o piloto Francisco Fabiano Gontijo morreu carbonizado. A aeronave pegou fogo e bateu no portão de uma casa. A fiação da rede de energia elétrica foi atingida e deixou moradores do entorno sem luz.

De acordo com Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o avião havia decolado do Aeroporto Carlos Prates, também na Região Noroeste. Pelo registro de voo, o pouso seria feito no mesmo local.

Fonte: G1

Fotos: Raquel Freitas/G1 e TV Globo

“Chegar aos 100 anos é uma verdadeira dádiva de Deus. Vivo uma vida de alegrias ao lado da minha família e, desta maneira, vou comemorar meu aniversário. Junto com a família e com bons amigos”, afirma o ator e dublador Orlando Drummond, que completa 100 anos nesta sexta (18).

Ao lado de Chico Anysio, Drummond ganhou notoriedade com o personagem Seu Peru da Escolinha do Professor Raimundo, criado em 1952 para a versão do programa ainda no rádio.

Para comemorar seu centenário, ele vai reviver o personagem na Escolinha, no próximo domingo (20), ao lado de seu intérprete atual, Marcos Caruso. A presença de Drummond no set, durante a gravação, em julho, foi surpresa para o elenco. A pedido da diretora Cininha de Paula, os atores saíram da sala enquanto o humorista entrava no local. Quando retornaram ao cenário, lá estava ele, sentado na carteira que ocupou durante anos, com o figurino completo de Seu Peru. 

O último a entrar foi Marcos Caruso, o herdeiro do personagem, que não conseguiu segurar as lágrimas. 

“Todos estavam com lágrimas nos olhos porque percebiam a minha emoção. E eu recebendo a emoção de Orlando e dos colegas. Para ficar marcado na história profissional da minha vida”, disse Caruso, à época.

Em cena, Drummond e Caruso interagiram e arrancaram gargalhadas da plateia com os trejeitos e bordões clássicos do personagem, como “Estou porr aqui” e “Te dou o maiorr apoio”. “Caruso me procurou e eu autorizei [que ele ficasse com o personagem]. Ele ligou para a minha casa. Foi muito bacana, muito leal, uma pessoa muito gentil”, destaca Drummond, brincando de fazer os trejeitos de Seu Peru. 

Drummond reflete sobre os 100 anos de vida e diz que não tem do que se queixar. Ele afirma que come de tudo, lê o jornal diariamente, faz passeios pelo shopping e ainda mantém uma conta no Instagram, administrada pelos netos, com quase 60 mil seguidores. 

Entre uma atividade e outra, o ator diz que tira aquela soneca. Deixou o remo e o futebol e agora seu esporte é a fisioterapia, que faz três vezes por semana. Diz que dirigiu até os 95, mas depois que deu uma raspadinha no carro resolveu se aposentar do volante. Neste ano, até curtiu o Carnaval em um bloco de rua que o homenageou.
Eterno apaixonado, ele afirma que tem que estar com tudo em cima para agradar o seu amor, Glória Drummond, 85, com quem é casado desde 1951. “Sou casado com uma mulher mais nova e exigente. Aprendi a ser exigente com ela. É o meu encanto. Somos eternamente apaixonados.”

O casal se conheceu em junho de 1948, nos bastidores de um programa de rádio de Pedro Anísio, cuja estreia Glória foi prestigiar. “Nos olhamos e ele pediu o meu telefone para o Pedro Anísio, que custou a entregar. Mas ele tanto insistiu que conseguiu”, conta ela.

Os dois têm dois filhos, Orlando e Lenita Helena, cinco netos, Marco Aurélio Asseff, Michel Assef Filho, e os dubladores Felipe Drummond, Alexandre Drummond, Eduardo Drummond, e dois bisnetos, Miguel e Mariah. 

“Temos um amor e uma amizade muito grande. Um pertence ao outro, depende um do outro para tudo, para viver, para respirar. É uma convivência que a gente cria uma amizade terrível. Ele é muito carinhoso, faz várias declarações de amor todos os dias”, completa Glória. 

Filho de Alcinda Drummond Cardoso e de Arthur Candido Cardoso, Orlando Drummond tem, ao todo, nove irmãos. Casemiro e Maria Dárida por parte de pai e Oswaldo, Virgínia, Risoleta, Edith, Orlando, João e Paulo da união de Arthur e Alcinda. Orlando é o único vivo, apesar de todos terem vivido bastante, segundo Glória. 

“Eu nasci no bairro de Todos os Santos. Bons tempos. Moramos um tempo juntos, depois cada um foi casando e encontrando a sua vida. E dali a gente foi saindo. Eu vim para Vila Isabel quando criança e hoje com a idade que estou ainda moro aqui. Só que casado e com um casal de filhos maravilhosos”, relembra o ator.

“Minha sogra contava que todos os seus filhos eram bem levados. Eles moraram ali em São Cristóvão também e fugiam para a Quinta da Boa Vista, onde escondiam dos pais nas árvores. Na época de Cosme e Damião, Orlando subia nas árvores, esperava o pessoal colocar doce ali em baixo e descia para comer”, diz Glória.

FASE DUBLADOR
Em julho, em conversa com a reportagem, o ator segurava um pedaço de jornal com anotações: 68 anos de casamento, 60 de dublagem, 70 no rádio e na televisão. Os nomes de seus personagens mais conhecidos, no entanto, não estavam na cola. Ele sabe tudo de cor: Scooby Doo, Alf (“Alf: O ETeimoso”), Popeye, e Vingador (“Caverna do Dragão”), como o dublador, e Seu Peru (“Escolinha do Professor Raimundo”), como ator. 

Entre os personagens de desenho animado dublados por ele, Scooby-Doo é seu preferido e o mais longevo. A família do ator junta documentos para que Drummond entre para o Livro Guinness de Recordes por ter dublado o cachorro de Salsicha por 42 anos ininterruptos. “Criei a voz de Scooby conforme a imagem que eu via. Ensaiei três vozes e o diretor escolheu uma. Eu tinha outra força na garganta, que hoje não tenho mais. Cem anos não é mole.”

Glória relembra que estava na praia com o marido e com a filha, Lenita Helena, hoje com 66 anos, em uma tarde dos anos 1950 quando ele disse que tinha sido convidado para fazer testes “com uns filmes que vêm de fora e a gente coloca a nossa voz”. Entusiasmado, fez o primeiro. Adorou e engrenou na profissão.

“Comecei na verdade como contrarregra [em 1942]. Fui o melhor de rádio teatro. Passei a fazer umas pontinhas aqui e ali, acabei me habituando e cheguei a papeis melhores. Então, segui minha carreira como rádio ator e dublador. Eu fui dublador por acaso, me adaptei logo, entendi a coisa e fiz grandes dublagens. Foi um sucesso, graças a Deus. E aí deu para crescer para a televisão […] Quantas vozes eu fiz, quantas coisas que eu fiz e não tomei nota, que passaram no tempo.”

Em maio deste ano, Drummond dublou o vilão Vingador em um comercial da Renault, que reviveu o desenho Caverna do Dragão. “Já me esqueci do comercial, mas graças a Deus o público não esquece não. E de tanto falarem, eu acabo me lembrando. Eu não tenho do que me queixar.”

Para eternizar a trajetória de Orlando Drummond, o jornalista Vitor Gagliardo, chefe de reportagem da TV Brasil, prepara o lançamento da biografia “Orlando Drummond – Versão Brasileira” (Ed. Gryphus), que deve ocorrer na primeira quinzena de novembro. O livro, segundo o jornalista, tem quase 340 páginas de texto e 16 de fotos. 

“Meu método de trabalho foi entrevistas com Orlando, familiares e dubladores. O próprio Orlando tem uma vasta documentação guardada. Além disso, fiz toda uma pesquisa buscando informações divulgadas pela imprensa.”

Fonte: Folha Press

Corpo de Bombeiros do Ceará confirmou na manhã desta quinta-feira, 17, a quarta morte após o desabamento do Edifício Andréa, no bairro do Dionísio Torres, em Fortaleza.

Os bombeiros ainda não identificaram a quarta vítima. Sete pessoas foram resgatadas com vida dos escombros. Outras seis estão desaparecidas.

Localizado na esquina das Ruas Tibúrcio Cavalcante e Tomás Acioli, o edifício residencial de sete andares desmoronou por volta das 10h15 de terça-feira, 15. Na noite do mesmo dia, foi encontrado o primeiro corpo: do vendedor Frederick Santana dos Santos, de 30 anos, que estava em um mercado vizinho e acabou sendo atingido.

Na tarde desta quarta-feira, 16, o corpo de Santos foi sepultado em um cemitério da região metropolitana de Fortaleza.

À noite, o Corpo de Bombeiros escutou uma voz, que poderia ser de uma pessoa sob os entulhos do prédio. As buscas, agora auxiliadas por cães farejadores, estão focadas para localizar essa vítima.

Ainda na quarta, foi retirado dos escombros o corpo de Izaura Marques Menezes, de 82 anos e, à tarde, foi localizado o corpo de uma mulher, que segue sem identificação até o momento.

Os trabalhos das equipes de resgate seguem de forma ininterrupta. Seis pessoas ainda estão desaparecidas.

Sete resgatados com vida

Pessoas socorridas com vida foram encaminhadas para unidades de saúde da rede pública, passaram por cirurgia e estão em recuperação. Inicialmente, os bombeiros haviam informado o resgate de oito vítimas, mas o número foi corrigido para sete. Um dos nomes estaria duplicado na lista.

Fonte: Felipe Cordeiro, O Estado de S. Paulo, e Jackson de Moura
Foto: Ronaldo Oliveira/Agência O DIA / Estadão Conteúdo

O número de feriados prolongados vai dobrar e chegar a nove datas no ano de 2020, em comparação ao ano de 2019 que teve apenas cinco datas comemorativas prolongadas. As folgas cairão às segundas, terças, quintas ou sextas-feiras.

Os feriados são em nível nacional, sem contar os feriados estaduais e municipais de cada cidade.

São eles: Carnaval (24 de fevereiro, segunda-feira), Paixão de Cristo (10 de abril, sexta-feira), Tiradentes (21 de abril, terça-feira), Dia do Trabalho (1º de maio, sexta-feira), Corpus Christi (11 de junho, quinta-feira), Independência do Brasil (07 de setembro, segunda-feira), Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro, segunda-feira), Finados (02 de novembro, segunda-feira) e Natal (25 de dezembro, sexta-feira).

Haverá ainda um feriado que cairá na quarta-feira, dia 1º de janeiro, que impossibilita emenda, além de uma data, Proclamação da República, em 15 de novembro, que acontece em um domingo. Até o fim do ano, o Ministério do Planejamento divulgará uma portaria com todas as datas oficiais.

Veja a seguir as datas dos feriados de 2020

Ano novo: 1º de janeiro | quarta-feira

Carnaval: 24 a 26 de fevereiro | segunda-feira a quarta-feira

Sexta-feira Santa: 10 de abril | sexta-feira

Páscoa: 12 de abril | domingo

Tiradentes: 21 de abril | terça-feira

Dia do Trabalho: 1º de maio | sexta-feira

Corpus Christi: 11 de junho | quinta-feira

Independência do Brasil: 7 de setembro | segunda-feira

Dia de Nossa Senhora Aparecida: 12 de outubro | segunda-feira

Finados: 2 de novembro | segunda-feira

Proclamação da República: 15 de novembro | domingo

Natal: 25 de dezembro | sexta-feira

Fonte: Exame.com

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga hoje (16) o Cartão de Confirmação da Inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Entre outras informações, os estudantes terão acesso ao local onde farão o exame neste ano. As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro.

“A recomendação primeira é que o participante imprima o cartão de confirmação e, aqueles que precisam, imprimam a declaração de comparecimento e levem os dois para a aplicação do exame”, disse à Agência Brasil o diretor de Gestão e Planejamento do Inep, Murillo Gameiro.

Uma vez sabendo o local de aplicação, o diretor recomenda que os participantes façam o trajeto de casa até o lugar, para avaliar a duração do trajeto no dia da prova: “o participante deve conhecer o trajeto até o local de prova, considerando que no dia da prova vai ter um trânsito mais complicado, e haverá várias pessoas participando do Enem. É bom que o participante conheça o trajeto e saiba o tempo que vai gastar de casa até o local da prova.”.

No dia do Enem, a dica é chegar no local com antecedência. Os portões abrirão às 12h, pelo horário oficial de Brasília, e serão fechados às 13h.

O Cartão poderá ser consultado na Página do Participante, na internet, ou pelo aplicativo do Enem, disponível para download nas plataformas Apple Store e Google Play. Para acessar o Cartão, o participante precisa informar a senha cadastrada na hora da inscrição no Enem 2019. O Inep divulgou um vídeo orientando aqueles que perderam a senha sobre como recuperá-la.

Os estudantes poderão conferir, no Cartão, o número da sala onde farão o exame; a opção de língua estrangeira feita durante a inscrição; e o tipo de atendimento específico e especializado com recursos de acessibilidade, caso tenham sido solicitados e aprovados; entre outras informações.

Declaração de comparecimento

Segundo Gameiro, além do cartão, estará disponível a partir desta quarta-feira a declaração de comparecimento do primeiro dia do exame, que deverá ser levada no dia 3 de novembro. A declaração do segundo dia estará disponível a partir do dia 4 de novembro e deverá ser usada no dia 10 de novembro. Essa declaração precisa ser impressa e levada para a prova, quando será assinada pelo coordenador de local de prova.

“Dependendo do regime de trabalho, algumas pessoas têm plantão no final de semana e precisam de declaração para ter a falta abonada. São casos específicos”, diz. Essas pessoas, de acordo com o diretor, devem ficar atentas pois o Inep não irá fornecer o comprovante de presença após o dia da prova.

O Enem 2019 será realizado em 1.727 municípios brasileiros. Cerca de 5,1 milhões de estudantes estão inscritos no exame.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir este ano pode usar as notas do Enem para se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior. Os estudantes podem ainda concorrer a bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e a financiamentos pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Fonte: Agência Brasil 

Um prédio residencial desabou, na manhã desta terça-feira (15), no Bairro Dionísio Torres, área nobre de Fortaleza.

O Segundosabe até agora

  • Prédio desabou por volta das 10h30
  • Uma morte foi confirmada às 11h43
  • Bombeiros estimam que entre 10 e 15 pessoas ficaram entre escombros
  • Ao menos três pessoas foram resgatadas com vida
  • Ruas em torno do edifício foram bloqueadas

O total de feridos não havia sido contabilizado até a última atualização desta reportagem. Às 11h43, os bombeiros confirmavam a primeira morte e dois feridos resgatados com vida. Pouco antes das 11h, foi confirmado o resgate de mais um sobrevivente.

Testemunhas do desabamento relatam que viram pessoas dentro do edifício, no cruzamento na Rua Tibúrcio Cavalcante com Rua Tomás Acioli, no momento do desabamento. Logo após a construção ruir, pessoas foram vistas correndo para longe do condomínio.

Segundo moradores do bairro, o prédio tinha sete andares, incluindo a cobertura. Algumas pessoas que passavam pelo local e que sofreram ferimentos foram encaminhadas para algumas clínicas próximas ao prédio.

“Eu estava em casa. Há 30 minutos ouvi um barulho forte. Como se fosse uma batida de caminhão, coisa do tipo. Em seguida ouvi um barulho desencadeado. Eu disse: não. Caiu alguma coisa. Desabou alguma coisa. Olhei pela janela e vi poeira muito forte e gente correndo”, disse Mário Ferreira, morador da região.

Segundo informações de moradores do bairro, o prédio tinha sete andares, incluindo a cobertura. Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada ao local. Duas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também estão no local.

Por meio de nota, a Prefeitura de Fortaleza informou que montou um plano de contingência para atender as vítimas. Profissionais do Instituto Dr. José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza, maior hospital de urgência e emergência do Ceará, foram deixados de prontidão para os atendimentos, junto com equipes de outras três unidades de saúde (UPA, Frotinhas e Gonzaguinhas).

O Corpo de Bombeiros pediu para que todos os moradores da região deixassem suas residências. Segundo os bombeiros, há risco de explosões devido a um possível vazamentos de gás, além do risco de choque elétrico devido aos fios de energia espalhados pela rua.

Por conta do desabamento, um trecho da Avenida Antônio Sales até a a Avenida Tomás Acioli ficou bloqueado.

Prédio que desabou em Fortaleza:

Fonte: G1

Filhos de mulheres vítimas de violência já podem ser matriculados em escolas de educação básica perto de sua residência. O Diário Oficial da União, edição desta quarta-feira (9), publica a Lei nº 13.882, de 8 de outubro deste ano, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro nessa terça-feira, que altera a Lei Maria da Penha, para garantir a matrícula, independentemente da existência de vaga.

“A mulher em situação de violência doméstica e familiar tem prioridade para matricular seus dependentes em instituição de educação básica mais próxima de seu domicílio, ou transferi-los para essa instituição, mediante a apresentação dos documentos comprobatórios do registro da ocorrência policial ou do processo de violência doméstica e familiar em curso”, diz o texto da lei.

A nova redação dez ressalta também que serão sigilosos os dados da vítima e de seus dependentes matriculados ou transferidos e o acesso a essas informações será reservado ao juiz, ao Ministério Público e aos órgãos competentes do poder público.

Segundo o projeto Relógios da Violência do Instituto Maria da Penha (IMP), a cada 7,2 segundos uma mulher sofre agressão física no Brasil.

Fonte: Agência Brasil

Uma apresentação gratuita de Marília Mendonça, 24, acabou em transtorno e arrastão no centro de Belo Horizonte (MG) na noite desta segunda-feira (7). O show, que faz parte do projeto Todos os Cantos, foi organizado na Praça da Estação e anunciado horas antes de ser realizado. 

Apesar de não ter feito a contagem, a Guarda Municipal de Belo Horizonte afirmou que aproximadamente 100 mil fãs assistiram à apresentação da cantora. O número excedeu a expectativa da organização, que esperava até 15 mil pessoas. Segundo a Guarda, o número muito além do esperado dificultou a segurança dos presentes.

A assessoria da cantora informou que todas as autoridades locais foram previamente avisadas sobre o evento, bem como foram feitas as solicitações de autorizações aos órgãos de segurança local, que liberaram o alvará para a realização do evento.

De acordo com a equipe de Mendonça, em cada cidade é feita uma estimativa de público que, dependendo do local, pode ser maior ou menor. A equipe da artista garantiu que seguiu todas as orientações das autoridades locais e que, além da Policia Militar e da Guarda Civil, foram contratados mais 100 seguranças privados. 

Depois do ocorrido, a artista disse “lamentar profundamente o incidente” e reforçou que o projeto é uma maneira de retribuir ao seu público o carinho que recebe dos fãs. 

MEGATURNÊ E SÉRIE DOCUMENTAL

O projeto “Todos os Cantos” leva shows gratuitos da cantora para todas as capitais do Brasil. A estrutura das apresentações não recebe apoio das prefeituras, que ajudam disponibilizando as equipes de segurança da Polícia Militar e Guarda Civil.

“Tivemos que adotar uma partezinha [na apresentação] em que agradeço e falo para a galera que estamos dando esse show de presente, meu escritório e eu, que precisamos contar com a educação deles. É um evento muito grande, colocamos 100 mil pessoas em Brasília. Jamais imaginaria isso, nunca conseguiria contratar um segurança para cada dez pessoas ali”, contou a artista em entrevista recente ao F5. 

A cantora grava uma das músicas de seu disco, “Todos os Cantos”, por cada cidade que passa. Em Belo Horizonte, foi a vez de “Graveto”. A apresentação aconteceu após três meses de pausa por conta de sua agenda de shows fora do projeto. 

Os fãs podem, ainda, acompanhar a turnê da cantora pela Globoplay, streaming da Rede Globo. Mendonça está documentando sua passagem pelo país em uma série, transmitida pela plataforma. 

Fonte: Folha Press

Em parceria com os governos estaduais, distrital e municipais, o Ministério da Saúde inicia, na próxima segunda-feira (7), a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. Na primeira fase, que vai até o dia 25 de outubro, o público-alvo serão as crianças com idade 6 meses e 4 anos e 29 dias.

A segunda etapa, de 18 a 30 de novembro, terá foco na população com idade entre 20 e 29 anos. Em entrevista coletiva, o ministro titular da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a prioridade para este grupo justifica-se porque, como provavelmente não receberam a segunda dose da vacina, seus filhos acabam apresentando um sistema imunológico mais vulnerável à doença. Além dos dois períodos, a campanha também destaca o dia 19 de outubro como o Dia D, para mobilização nacional.

Levantamento do governo federal mostra que, até o dia 28 de agosto, 5.404 casos de sarampo foram confirmados em todo o país. Além disso, houve o registro de seis óbitos, sendo quatro deles de pacientes menores de 1 ano.

A unidade federativa com maior incidência é São Paulo (15,11 a cada 100 mil habitantes), que concentra 97% dos casos e é seguida por Bahia (6,64) e Sergipe (5,86). Embora apresente índice de 0,21, o Pará preocupa, devido à sua cobertura vacinal, que é, atualmente, de 76%, disse Mandetta. O Amapá apresenta a segunda cobertura mais baixa, de 77%, perdendo para a Bahia, com 80%, e o Maranhão e o Piauí, ambos com 83%.

De acordo com informações da pasta, foram adquiridos, para este ano, 60,2 milhões de doses da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Para o ano que vem, a encomenda foi de 65,4 milhões de doses.

Em 2020, o ministério dará continuidade à campanha. A imunização será dividida em três etapas e incluirá pessoas com idade de 50 a 59 anos. Ao todo, espera-se que a vacinação atinja 39 milhões de brasileiros, que equivalem a 20% da população.

“Nós sabemos que as crianças de 6 meses a 1 ano de idade são as que respondem clinicamente pior ao sarampo. Acabam desenvolvendo um quadro de pneumonia muito grave, e os óbitos acabam tendo uma prevalência maior nessa faixa etária. Então, o clássico é vacinar aos 12 meses e aos 15 meses. Quem fez isso com seus filhos abaixo de 5 anos fez o correto, a criança está coberta e não há necessidade de aplicar mais uma dose. Aqueles que só deram uma dose aos 12 meses e não deram a segunda devem ir agora para fazer a segunda dose, porque uma dose só não dá sistema imunológico competente para enfrentar um surto de sarampo”, afirmou o ministro.

“O que é a novidade à qual as pessoas devem estar atentas? De 6 meses a 1 ano, quando não era recomendada a primeira dose, estamos fazendo a chamada dose 0. Vacinar os bebês e depois, aos 12 meses, fazer a dose regulamentar, como se fosse a primeira, e a segunda. Essas crianças a gente vai blindar mais, porque elas são as principais vítimas fatais do sarampo”, acrescentou, ressaltando que o governo está cogitando voltar a aplicar a vacina oral contra sarampo, que ficou vulgarmente conhecida como a “vacina de gotinha”.

Fonte: Jornal do Brasil

Por 56 votos a 19, o Plenário do Senado aprovou em primeiro turno, na madrugada desta terça-feira (1°), o texto-base da reforma da Previdência. Como a PEC 6/2019 altera trechos da Constituição, o texto precisa passar por uma segunda votação e ter o apoio mínimo de 49 dos 81 senadores. Segundo calendário divulgado pelo presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), a previsão é que isso ocorra na próxima semana.

Dos dez destaques apresentados que poderiam modificar a redação principal da reforma da Previdência, apenas três foram analisados até o momento. O único aprovado pelos senadores é o que exclui as mudanças nas regras do abono salarial, benefício anual de um salário mínimo pago ao trabalhador de empresas, entidades privadas e órgãos públicos contribuintes do PIS ou PASEP.

Pelo texto aprovado na Câmara, o pagamento desse benefício seria restrito a quem recebe até R$ 1.364,43 por mês. Dessa forma, permanece em vigor as regras atuais, que estabelecem o repasse aos trabalhadores que ganham até dois salários mínimos (R$ 1.996). A estimativa do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), é que a alteração diminua em R$ 76 bilhões a economia prevista nos próximos dez anos.

Para o relator da Previdência na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), a aprovação da proposta em primeiro turno atende a um apelo popular. Segundo o parlamentar, a PEC 6/2019 deve gerar uma economia de R$ 876 bilhões em dez anos e um alívio aos cofres públicos.

“O Brasil todo está esperando por isso. Eu sou testemunha viva disso. Aonde eu chego, as pessoas cobram se ‘sai ou não sai essa reforma’. É uma obrigação nossa dar uma resposta a esse povo que está esperando o nosso trabalho”, disse.

Na avaliação do senador Zequinha Marinho (PSC-PA), a aprovação da Previdência colabora para o avanço econômico no país.

“O Brasil todo precisa de ajustes. A Previdência, com tudo que ela teve de custos para a sociedade, não pode ficar de fora. É fundamental que o Brasil tenha uma Previdência ajustada, que se diminua esse déficit para melhorar a economia que se vive nesse momento”, opina.

Já o senador Sérgio Petecão (PSD-AC) considera que os recursos economizados com a reforma devem ser investidos em áreas estratégicas, como saúde e educação.

“Nós temos que priorizar o nosso país. O Brasil precisa e muito dessa reforma. Para o meu estado, é questão de sobrevivência. Para se ter ideia, hoje nós pagamos R$ 50 milhões todo mês para suprir um déficit da Previdência. O estado do Acre não aguenta isso, porque é dinheiro que deixa de ir para saúde e outros investimentos”, defende.

Tramitação

O texto aprovado pelos senadores em Plenário passou, horas antes, por análise na CCJ. O colegiado ratificou, por 17 votos a nove, o parecer de Jereissati. No total, 26 senadores votaram e não houve nenhuma abstenção. A presidente da comissão, Simone Tebet, não participou.
Segundo o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, a aprovação da proposta significa retomar o caminho do crescimento e da geração de empregos no país.

“Nós consideramos que a aprovação da PEC 6 é uma vitória do Brasil, do Parlamento brasileiro, do presidente Jair Bolsonaro, que mandou para a Casa projetos importantes, e que a princípio não são populares, mas essenciais”, ressaltou.

Entre outros pontos, a reforma da Previdência estabelece idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e de 62, para mulheres. Essa regra não inclui professores, nem membros da Polícia Federal, polícias legislativas, Polícia Civil do Distrito Federal e agentes penitenciários federais.

O texto prevê ainda tempo de contribuição mínima de 15 anos para as trabalhadoras e de 20 para os trabalhadores da iniciativa privada. Em relação ao setor público, esse período será de 25 anos para ambos os sexos. Vale lembrar que as regras para aposentadoria de trabalhadores rurais e de concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC), auxílio pago a idosos e pessoas com deficiência, não sofreram alteração.

Fonte: PB Agora