Category

ESPORTES

Category

Dois dias após definir o adiamento das Olimpíadas de Tóquio para 2021, na última terça-feira, o Comitê Olímpico Internacional (COI) trabalha agora com a ideia de, em até um mês, anunciar as novas datas dos Jogos Olímpicos. Uma força-tarefa criada pela entidade espera que o megaevento ocorra entre julho e agosto de 2021, exatamente um ano depois do período original. A informação é do jornal japonês Yomiuri Shimbun e foi confirmada pelo inglês The Telegraph.

– Nós queremos fechar as datas em quatro semanas mais ou menos – afirmou John Coates, chefe da comissão de coordenação dos Jogos Olímpicos de Tóquio e membro do COI.

Também presidente do Comitê Olímpico Australiano, Coates disse que as novas datas para as Olimpíadas vão ser marcadas mesmo que ocorram conflitos com o Mundial de Esportes Aquáticos, programado para ocorrer entre o dias 16 de julho e 1 de agosto de 2021, em Fukuoka, também no Japão, e o Mundial de atletismo, que será entre 6 e 15 de agosto do ano que vem, em Eugene, nos Estados Unidos.

A previsão de Tóquio 20202 era de que 11 mil atletas, de pelo menos 204 países, disputassem os Jogos, distribuídos por 33 esportes. Se não bastasse esse contingente de pessoas, o COI e o Comitê Organizador do Japão tinham por estimativa que as provas recebessem até cinco milhões de espectadores de todo o mundo, nos 43 locais de disputas.

Yoshiro Mori, ex-primeiro ministro e atual presidente do Comitê Organizador Tóquio 2020 falou dos desafios que o Japão irá enfrentar para a realização dos Jogos em uma data diferente.

– Em suma, o que estamos trabalhando há sete anos chegou a um ponto crítico quando estava prestes a começar. E agora temos que reconstruí-lo novamente. Vamos ter que remontar em seis meses o que fizemos em sete anos, por isso será difícil. Tomar decisões sem problemas será crucial – disse Mori.

Fonte: Globoesporte.com

Foto: Kyodo/via REUTERS

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, confirmou nesta terça-feira (24), o adiamento das Olimpíadas de Tóquio, que seriam realizadas em 2020, para o verão de 2021. Segundo o premiê, foi feito um pedido formal e aceito pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) para postergar a competição programada para o dia 24 de julho deste ano. Uma nova data oficial ainda será divulgada.

Abe fez o anúncio aos jornalistas logo após uma conversa telefônica com o presidente do COI, Thomas Bach. Segundo ele, o comitê internacional não impôs restrições e aceitou o pedido. Nas redes sociais do primeiro-ministro, também há a confirmação de que os Jogos serão adiados para o verão de 2021.

Pouco depois, o COI publicou uma nota em seu site oficial explicando a tomada de decisão em conjunto com o primeiro-ministro do Japão. Segundo o texto, a decisão foi tomada após a pandemia pelo novo coronavírus ter acelerado em boa parte do mundo nos últimos dias. Com isso, a saúde dos atletas e de todos os envolvidos nas Olimpíadas poderia estar em risco com a realização dos Jogos ainda em 2020.

Fonte: Globoesporte.com

Foto: Charly Triballeau/Pool via REUTERS

Após uma semana em que o coronavírus ganhou força em boa parte do mundo, o discurso quanto ao possível adiamento das Olimpíadas de Tóquio 2020 parece ter mudado de vez. Nesta segunda-feira foi a vez dos dois principais executivos do Comitê Organizador virem a público e deixarem claro que uma mudança na data da competição não está descartada. O cancelamento, entretanto, é totalmente rechaçado pela organização.

Em entrevista coletiva, o presidente do Comitê Tóquio 2020, Yoshiro Mori, e o CEO do órgão, Toshiro Muto, indicaram as dificuldades para cravar o adiamento. Mori fez questão, entretanto, de frisar que cancelar o megaevento não é uma possibilidade vislumbrada.

– Primeiro de tudo: sobre cancelamento, nunca consideramos isso. É inimaginável. O adiamento não é o primeiro caminho de ação, mas não podemos não considerar isso – disse Mori.

O presidente de Tóquio 2020 indicou que o Japão considera a pandemia do COVID-19 “uma questão estabilizada”. Entretanto, disse que as autoridades estão cientes de como o coronavírus chegou com força a outros locais.

– Não podemos deixar nossa guarda baixa sobre isso, especialmente porque nos Estados Unidos, Europa e novas áreas estão sob situações extremas agora. Entendemos isso, ouvimos muitas opiniões, de muitos países, sobre realizar os Jogos como planejado inicialmente. Não somos tolos.

O CEO do comitê, Toshiro Muto, indicou que não é simples mudar os planos repentinamente, uma vez que houve um longo planejamento considerando que os Jogos aconteceriam neste ano. As Olimpíadas estão marcadas, a princípio, para ocorrer de 24 de julho a 9 de agosto.

– Há muito envolvido. Trabalhamos por seis anos para essas Olimpíadas começarem em 24 de julho, esse trabalho terá que ser refeito. Claro, a segunda vez deve ser mais eficiente. Entretanto, fizemos muitos contratos que já estão prontos, e revisar esses contratos não é uma tarefa fácil – apontou Toshiro Muto.

Depois de atletas e comitês olímpicos ao redor do mundo criticarem o discurso de manutenção na data das Olimpíadas deste ano, o COI admitiu pela primeira vez no último domingo o possível adiamento da competição. Horas depois, o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, endossou que a remarcação vem sendo considerada.

A decisão final sobre o adiamento ou manutenção das Olimpíadas cabe ao COI, mas as autoridades do Japão, país-sede, também têm grande influência. Os maiores problemas para o adiamento das Olimpíadas envolveriam o prazo de patrocínio dos atletas, a idade de alguns participantes, além das empresas que estamparão suas marcas em todo o evento. Outra questão seria a Vila Olímpica, planejada para ser convertida em apartamentos após a competição.

Fonte: Globoesporte.com

Foto: REUTERS/Issei Kato

Em comunicado oficial, o COB defendeu que os Jogos Olímpicos de Tóquio sejam adiados para o próximo ano. Evento começa em julho.

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) pediu que os Jogos Olímpicos de Tóquio fossem adiados em um ano. Assim, as Olimpíadas poderiam ser realizadas em 2021. Tudo por causa do surto do coronavírus que tem se espalhado pelo mundo. No início da semana o Comitê Olímpico Internacional (COI) confirmou a manutenção dos Jogos para julho deste ano.

O COB segue portanto uma leva de federações internacionais que estão pedindo o adiamento dos Jogos Olímpicos. O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) já tinha dito que queria que os Jogos Paralímpicos fossem adiados para 2021. Nesta sexta-feira (20), o nadador brasileiro Bruno Fratus fez duras críticas ao modo como o COI tem conduzido toda a questão.

Nesta semana, o COB e o CPB fecharam os seus centros de treinamentos. Assim, boa parte dos atletas brasileiros têm encontrado dificuldade para realizar os seus principais treinamentos. Isso porque, nos dois casos, esses centros de treinamento são vistos como as únicas opções de locais de treinamentos para esses atletas.

Críticas

decisão do COI de manter os Jogos Olímpicos para julho gerou uma avalanche de críticas. Federações, dirigentes, atletas, jornalistas e torcedores têm criticado fortemente a decisão. Neste sábado (21), a Confederação norte-americana de natação pediu que os Jogos fossem adiados. Mas eles foram desautorizados pelo Comitê Olímpico norte-americano.

Seja como for, até o presente momento os Jogos Olímpicos de Tóquio seguem confirmados para o mês de julho. Para ser mais preciso, a Cerimônia de Abertura está marcada para o dia 24. Assim, Tóquio terá poucos meses para decidir se continuará ou não com a data prevista inicialmente.

Fonte: Torcedores.com

A tocha olímpica já está nas mãos dos japoneses. Nesta quinta-feira, a chama que é símbolo das Olimpíadas foi entregue pelos gregos ao Comitê Organizador dos Jogos de Tóquio 2020. Por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19), a cerimônia de passagem do fogo olímpico, porém, teve de ser realizada com portões fechados, sem a presença do público.

– Esperamos que a chama olímpica, um símbolo de paz e solidariedade, vai extinguir o vírus e derrotá-lo. E então o Movimento Olímpico, unido e livre desse inimigo cruel, vai se reunir em Tóquio para celebrar o maior evento esportivo de todo mundo, que é a Olimpíada – disse Spyros Capralos, presidente do Comitê Olímpico da Grécia.

Seguindo o tradicional protocolo da tocha olímpica, a chama foi acesa pelos gregos na cidade de Olímpia na última quinta-feira, também em uma cerimônia sem público. O fogo dos Jogos iria circular pela Grécia por uma semana, mas o revezamento no país foi cancelado já na sexta-feira, quando centenas de pessoas se aglomeraram em Esparta para acompanhar a largada do revezamento, contrariando as orientações de combate ao coronavírus.

A mudança no percurso grego não alterou os planos dos japoneses, que receberam a tocha olímpica nesta quinta pelas mãos da representante Naoko Imoto e já embarcam para Tóquio. A chegada da chama no Japão está prevista para esta sexta-feira, mas o início do revezamento está programado para o dia 26 de março. Vão ser 121 dias percorrendo 47 cidades até a cerimônia de abertura dos Jogos, no dia 24 de julho.

Apesar da pandemia do novo coronavírus, o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Japão mantêm a programação da Olimpíada, que vai ser realizada entre 24 de julho e 9 de agosto. O COI vem recebendo muitas críticas por não adiar ou cancelar os Jogos, inclusive de atletas, que não podem treinar por causa do isolamento social imposto em muitos países. Ainda assim, o COI acredita que não é momento para “decisões drásticas”.


Fonte: GloboEsporte.com

Foto: Aris Messinis/Pool via REUTERS

A Conmebol decidiu pedir à Fifa que o começo das Eliminatórias seja em setembro.

As primeiras duas rodadas das Eliminatórias aconteceriam neste mês de março, mas foram adiadas inicialmente por conta do coronavírus. O conselho da Conmebol, que se reuniu nesta quinta-feira, decidiu indicar quando elas serão jogadas.

A próxima data Fifa no calendário internacional é junho, para jogos amistosos que antecederiam a Copa América. Mas o torneio foi adiado para 2021.

No caso do Brasil, as datas dos amistosos seriam relevantes para cumprir contrato com a Pitch. Os jogos estavam agendados anteriormente para os Estados Unidos, onde a seleção faria preparação para a Copa América.

De qualquer forma, não se sabe se o futebol voltará em junho. A Conmebol já adiou a Libertadores e a Sul-Americana pelo menos até 5 de maio.

Correção

A Conmebol publicou duas versões, em espanhol e português, do comunicado pós-reunião e cometeu um erro de tradução. Na versão em português, disse que os jogos de setembro seriam adiados também.

A nota da Conmebol corrigida

O Conselho da CONMEBOL, celebrado hoje por videoconferência após as medidas de prevenção estabelecidas, aprovou por unanimidade as seguintes decisões com o objetivo de priorizar a saúde em todos os momentos:

Realizar através de videoconferência o 72º Congresso Ordinário da Confederação, previsto para 2 de abril de 2020.

Solicitar à FIFA que adie para setembro as duas primeiras rodadas das eliminatórias sul-americanas para a Copa Mundial da FIFA Catar 2022.

Dessa forma, a Confederação toma precauções perante a evolução mundial e regional do Coronavírus (COVID-19), em consonância com as recomendações indicadas pelas autoridades internacionais em matéria de Saúde Pública.

Fonte: O Globo

A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) anunciou na manhã desta terça-feira (17) o adiamento da 47ª edição da  Copa América  para  2021. Inicialmente a competição estava prevista para ser realizada no período de 12 de junho a 12 de julho na Argentina e na Colômbia. A nova data do torneio já foi definida: acontecerá entre 11 de junho a 11 de julho de 2021.

A decisão foi tomada por conta do avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19)  por países da América do Sul nos últimos dias.

“Um evento desta magnitude merece que toda a atenção e esforço sejam concentrados em sua organização, uma prioridade que hoje fica em segundo plano para proteger a saúde e a segurança das seleções nacionais, torcedores, mídia e cidades-sede”, afirmou a organização em comunicado.

Fonte: Agência Brasil

A Conmebol decidiu suspender os jogos da Copa Libertadores previstos para a semana que vem por causa da pandemia do novo coronavírus. A medida é válida para o período entre os dias 15 e 21 de março. Com isso, as partidas desta quinta-feira estão mantidas, como o clássico entre Grêmio e Internacional.

Outros jogos da Libertadores desta quinta-feira que não sofreram alteração são entre Nacional (URU) e Estudiantes de Mérida, da Venezuela, e Racing, da Argentina, contra Alianza Lima, do Peru.

A Conmebol divulgou a suspensão da Copa Libertadores no Twitter. No comunicado, a confederação sul-americana destaca os jogos da semana entre os dias 15 e 21 de março. Além disso, avisa que os ajustes ao calendário da competição serão feitos nas próximas semanas.

Vários times brasileiros tinham jogos marcados para a semana que vem. O Flamengo enfrentaria o Independiente del Valle, o Palmeiras visitaria o Bolívar, o Athletico-PR pegaria o Jorge Wilstermann, o São Paulo encararia o River Plate e o Santos mediria forças contra o Olimpia.

Após anúncio da Fifa, a Conmebol também confirmou o adiamento das duas primeiras rodadas das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, marcadas para o período entre 23 e 31 de março. Ainda não há nova data prevista para a realização dos jogos.

Comunicado Oficial

Fonte: Globoesporte.com

Será no próximo domingo (14), a despedida oficial dos gramados do meio de campo Marcelinho Paraíba, da Perilima, com passagem pela seleção brasileira e vários clubes do país, em partida com o CSP, no estádio Amigão em Capina Grande, pela 8ª rodada do Campeonato Paraibano.

Na reapresentação do elenco essa semana para incio dos treinos, visando o confronto, o técnico Eudes Pedro, da equipe principal, anunciou que Marcelinho fará parte da comissão técnica. O atleta já integrava a comissão do time SUB-20.

A partida contra o CSP terá início às 16h. Marcelinho Paraiba vestiu a camisas de grandes clubes como grêmio, Flamengo, Coritiba, Sport-PE, Hertha Berlin, Santos, São Paulo. Na Paraíba, o jogador atuou no Campinense e Treze e, atualmente, está na Perilima.

Fonte: PB Agora

O trio do setor ofensivo do Flamengo foi a principal novidade da convocação de Tite para os próximos jogos da seleção brasileira, contra Bolívia e Peru, os primeiros das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, no Catar. O meia Everton Ribeiro e os atacantes Bruno Henrique e Gabigol são os destaques da lista, ao lado do volante Bruno Guimarães, ex-Atlético-PR e atualmente no Lyon, chamado pela primeira vez para a equipe principal do país.

– Não (houve negociação) com nenhum clube. É início de Copa do Mundo, responsabilidade grande, acompanhamento grande e escolhas. Não tem relação com Flamengo e nenhum clube, mas autonomia da escolha de atletas – disse Tite.

Também chamam a atenção a ausência do goleiro Alisson, machucado (o Liverpool comunicou lesão muscular nesta sexta-feira), e a inclusão de Gabriel Jesus, suspenso da estreia nas eliminatórias por causa da expulsão na final da Copa América, o que leva a lista a 24 nomes. Neymar está de volta, depois de ficar fora dos amistosos de novembro do ano passado, contra a Argentina e a Coreia do Sul. O último jogo dele pelo Brasil foi em 13 de outubro, contra a Nigéria (substituído no primeiro tempo, após lesão muscular).

O Brasil enfrentará a Bolívia no dia 27 de março, na Arena Pernambuco, e o Peru, fora de casa, em Lima, no dia 31. A apresentação dos convocados será no dia 23 de março, em Recife.

Confira a lista completa de convocados

  • Goleiros: Ederson (Manchester City), Ivan (Ponte Preta) e Weverton (Palmeiras).
  • Zagueiros: Marquinhos e Thiago Silva (Paris Saint-Germain), Éder Militão (Real Madrid) e Felipe (Atlético de Madrid).
  • Laterais: Daniel Alves (São Paulo), Danilo e Alex Sandro (Juventus) e Renan Lodi (Atlético de Madrid).
  • Meio-campistas: Casemiro (Real Madrid), Arthur (Barcelona), Fabinho (Liverpool), Everton Ribeiro (Flamengo), Bruno Guimarães (Lyon) e Philippe Coutinho (Bayern de Munique).
  • Atacantes: Neymar (Paris Saint-Germain), Roberto Firmino (Liverpool), Richarlison (Everton), Gabriel Barbosa e Bruno Henrique (Flamengo), Gabriel Jesus (Manchester City) e Everton (Grêmio).

Os outros compromissos em 2020 pelas Eliminatórias serão: contra o Uruguai, no dia 8 de setembro; a Colômbia no dia 8 de outubro; a Argentina no dia 13 do mesmo mês; o Equador, no dia 12 de novembro; e Paraguai em 17 de novembro. Confira a relação dos jogos em casa.

Além das Eliminatórias, a Seleção terá neste ano a defesa do título da Copa América. O primeiro jogo pela competição será no dia 14 de junho, contra a Venezuela, em Cali, na Colômbia. O segundo será contra o Peru, no dia 18, em Medellín. O terceiro e o quarto serão em Barranquilla, contra o Catar e a Colômbia, nos dias 23 e 27, respectivamente. O quinto será contra o Equador, no dia 1º de julho, em Bogotá. O Campeonato Brasileiro não vai parar durante a Copa América.

A última vez que o Brasil entrou em campo foi diante da Coréia do Sul, em 19 de novembro, quando venceu por 3 a 0. Desde a Copa do Mundo da Rússia, foram 22 jogos, com 14 vitórias, seis empates e duas derrotas – as duas contra rivais sul-americanos (Peru e Argentina, neste segundo semestre). Neste período, a Seleção conquistou a Copa América.

Fonte: Globoesporte.com

Foto: Felipe Moreno/MoWA Press