Category

ESPORTES

Category

Na quinta-feira (8) de Jogos Pan-Americanos Lima 2019, o Brasil viveu mais um dia com diversas medalhas de ouro, disparou no quadro geral de medalhas e se isolou na vice-liderança, à frente de potências das Américas como Canadá, Cuba e México.

Para alcançar o 36º ouro, a delegação brasileira contou com a natação, o judô e o atletismo, que renderam mais pódios ao país. Abaixo do Brasil no quadro estão México (3º lugar, com 27 ouros), Canadá (4º lugar, com 26 ouros) e Cuba (5º lugar, com 23 ouros).

Confira os principais destaques do dia no Pan de Lima:

Natação garante mais medalhas, sendo dois ouros

A natação brasileira teve mais uma noite vitoriosa em Lima. Na Videna (Villa Deportiva Nacional), foram duas medalhas de ouro (revezamento 4 x 100 m quatro estilos misto e Marcelo Chierighini, nos 100 m estilo livre), duas de prata (Miguel Valente, nos 800 m livre, e Guilherme Guido, nos 100 m costas) e três de bronze (Etiene Medeiros, nos 100 m costas; Viviane Jungblut, nos 800 m livre; e Larissa Oliveira, nos 100 m livre) conquistadas pelo Brasil. 

O destaque da noite ficou para a equipe do revezamento 4 x 100 m quatro estilos misto, que ao fim da prova havia ficado com a prata. Uma revisão, no entanto, apontou o movimento ilegal de um dos nadadores norte-americanos, que tinham faturado o ouro, desclassificando-os da categoria. Assim, o Brasil chegou ao lugar mais alto do pódio.

No atletismo, ouro de novato e classificação direta no 4×100 m

O grande feito do atletismo brasileiro na quinta-feira foi a medalha de ouro de Alison Brendom nos 400 m com barreiras. O atleta de 19 anos começou mal a prova, mas se recuperou aos poucos e assumiu a liderança após a queda de Juander Santos Aquino, da República Dominicana, já na reta final da disputa.

Outro destaque ficou para a classificação automática de nove países à final do revezamento 4×100 m masculino. Inicialmente, seriam cinco equipes em duas baterias, brigando por oito vagas, mas a Colômbia não se apresentou e a organização dos Jogos decidiu colocar as nove restantes na decisão.

Jovens garantem dois ouros no judô

Apenas 20 anos de idade têm os judocas Renan Torres (categoria até 60 kg) e Larissa Pimenta (até 52 kg), responsáveis por duas medalhas de ouro para o Brasil no primeiro dia da modalidade em Lima 2019.

Número 90 do mundo, Renan venceu na final o equatoriano Lenin Preciado, 18º no ranking, no golden score. Já Larissa derrotou a mexicana Luz Olivera, também no golden score, após Olivera receber três advertências por falta de combatividade.

No vôlei, seleção vive situação complicada

Após a boa estreia com vitória por 3 sets a 0 diante de Porto Rico, a seleção brasileira feminina de vôlei sofreu uma dura derrota: contra a Argentina, o Brasil perdeu por 3 a 0. Agora, se quiser avançar à próxima fase, a equipe deverá vencer os Estados Unidos nesta sexta-feira (9), no ginásio Polideportivo Callao.

Fonte: R7

Foto: Washington Alves/COB

Após passar por exames médicos, o zagueiro David Luiz é o novo reforço do Arsenal, que deve fazer nas próximas horas o anúncio oficial. O Chelsea receberá oito milhões de libras (cerca de R$ 38 milhões) pelo defensor brasileiro de 32 anos, que vai assinar um contrato de duas temporadas com os Gunners.

Curiosamente, foi a terceira vez que David Luiz mudou de clube no último dia da janela de transferências (o mercado na Inglaterra fecha nesta sexta-feira). Em 2011, trocou o Benfica pelo Chelsea no último dia da janela de inverno europeu (em janeiro). Em 2016, deixou o PSG e retornou aos Blues também no apagar das luzes.

Na última temporada pelo Chelsea, David Luiz foi um dos principais nomes, atuando em 50 partidas, anotando três gols e duas assistências. Ainda ajudou o clube a conquistar o título da Liga Europa.

Fonte: Globoesporte.com

Foto: Reuters

A quarta-feira (7) do Brasil nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019 teve mais seis medalhas na natação e um ouro histórico do arremessador Darlan Romani no atletismo.

Outro destaque ficou para a final disputadíssima no individual masculino do tênis de mesa, vencida por 4 sets a 3 por Hugo Calderano diante do o dominicano Jiaji Wu. A vitória garantiu o lugar mais alto do pódio e uma vaga olímpica a Calderano.

Veja os destaques do Brasil na quarta-feira (7) do Pan:

Dia de história no atletismo brasileiro

O atletismo teve um dia histórico nos Jogos Pan-Americanos. Darlan Romani ganhou o primeiro ouro da modalidade em Lima. Na prova do arremesso de peso veio o primeiro lugar e o recorde da competição. O catarinense conseguiu a marca de 22m07. 

Nos 100m feminino, Vitória Rosa conquistou o bronze. A medalha é a terceira do Brasil na história do Pan. Até 2019, o país tinha dois ouros, um em 83 com Esmeralda Jesus; e o outro com Rosangela Santos, em 2011.

Entre os homens a última medalha nos 100 m rasos foi o bronze de Claudinei Quirino, em 1999. 20 anos depois, Paulo André, de 21 anos, conquistou a prata.

Na natação, brasileiros faturam seis medalhas

O Brasil chegou ao pódio mais seis vezes na natação, com um ouro (Fernando Scheffer, nos 200 m estilo livre), duas pratas (Breno Correia, nos 200 m estilo livre, e equipe de revezamento 4×100 m livre misto) e três bronzes (Larissa Oliveira, nos 200 m estilo livre; Vinicius Lanza, nos 100 m borboleta; e Leo de Deus, nos 200 m costas). 

O principal destaque foi a dobradinha de Fernando Scheffer e Breno Correia na prova dos 200 m livre, com tempos de 1min46s68 e 1min47s47, respectivamente. 

Mais duas medalhas para o Brasil no tênis de mesa

O tênis de mesa brasileiro conquistou mais dois pódios aqui no Peru. O primeiro foi o bronze com Bruna Takahashi no individual. O destaque foi para o ouro de Hugo Calderano entre os homens. Em jogo difícil contra o dominicano Jiaji Wu, o brasileiro mostrou por que ele está entre os melhores do mundo. 

Ouro e vaga para Tóquio 2020

A equipe de hipismo do Brasil, formada por por Eduardo Menezes, Pedro Veniss, Rodrigo Lambre e Marlon Zanotelli, sai de Lima no Peru com o primeiro lugar no pódio na prova de saltos e com a vaga para os Jogos Olímpicos de Tóquio garantida. 

Prata no contrarrelógio

No ciclismo de estrada o brasileiro Magno Nazareth conseguiu a medalha de prata na prova contrarrelógio. Ele volta a competir no próximo sábado (10), ao lado de Rodrigo Nascimento.

Medalha na esgrima

Nathalie Moellhausen, esgrimista campeã do mundo, perdeu para a norte-americana Katherine Holmes nas semifinais da categoria espada feminina e ficou com o bronze. 

Boa estreia do vôlei feminino

As meninas do vôlei brasileiro estrearam contra Porto Rico e venceram facilmente. Foram 3 sets a 0, em 1h30 de jogo. Lima vai ser o último Pan do técnico Zé Roberto Guimarães.

Fonte: R7

Foto: Washington Alves/COB

O Brasil faturou mais uma medalha de ouro no revezamento 4×100 m da natação em Lima 2019. Com tempo de 3min12s61, na madrugada desta quarta-feira (7), a equipe masculina bateu o recorde pan-americano da categoria.

O time de Marcelo Chieghirini, Bruno Fratus, Henrique Spajari e Breno Correia deixou para trás as equipes dos Estados Unidos e México que, respectivamente, ficaram com prata e bronze.

Mais cedo, na estreia da natação no Pan de Lima, o Brasil deu show: foram outras duas medalhas de ouro (João Gomes, nos 100 m peito, e Leo de Deus, nos 200 m borboleta), duas de prata (revezamento 4×100 m feminino e Fernando Scheffer, nos 400 m livre) e uma de bronze (Luiz Altamir, nos 400 m bronze).

Fonte: R7

O técnico Zé Roberto Guimarães, de 65 anos, confirmou na manhã desta terça-feira (6), que os Jogos Pan-Americanos de Lima serão os últimos da carreira do treinador no comando da seleção feminina de vôlei. Com isso, as Olimpíadas de Tóquio 2020 marcarão o fim de um trabalho de mais de 16 anos no comando do Brasil.

“É muito difícil porque eu amo estar aqui. Eu adoro vestir a camisa da seleção brasileira. Não meço esforços para isso. Era o meu sonho de criança e adolescente representar o meu país e jogar entre os melhores do mundo. Conseguir isso é muito bom”, contou Zé Roberto. 

O treinador assumiu o time feminino em 2003 e conquistou dois ouros olímpicos, em Pequim 2008 e Londres 2012. Nesse período foi campeão do Pan em Guadalajara 2011.

Fonte: R7

Este domingo foi bastante positivo para o Brasil no Panamericano deste ano, disputado em Lima, no Peru. Os atletas conseguiram garantir mais de 10 medalhas em diversas categorias, do atletismo ao surf, passando pela canoagem. Até o começo da noite deste domingo (4), os triunfos do dia haviam contabilizado quatro medalhas de ouro, duas de prata e cinco de bronze.

Com isso, a representação verde e amarela consolidou a segunda colocação na classificação geral, com 21 ouros, 16 pratas e 32 bronzes. O país fica atrás apenas dos Estados Unidos, com 52 ouros. Nas posições seguintes do ranking estão México (19 ouros), Canadá (17), Colômbia (14), Cuba (14) e Argentina (12).

Na canoagem slalom, o Brasil subiu duas vezes ao posto mais alto do pódio: com Ana Sátila na canoa feminina e com Pedro “Pepê” Gonçalves no Caiaque masculino. Com isso Sátila conquistou o bi-campeonato, já que havia vencido também no Pan de Toronto, em 2015.

Além deles, Felipe Borges chegou em terceiro e obteve o bronze na prova de canoa masculina. Na canoa feminina, Omira Estácia fez tempo para a prata, mas foi requalificada e não alcançou o pódio.

A nadadora Ana Marcela subiu no topo do pódio na prova de maratona aquática feminina, de 10 quilômetros. Nesta categoria, Viviane Jungblut chegou em terceiro e garantiu o bronze. Ainda nas águas, Chloé Calmon também subiu mais alto, mas no longboard. Já Nicole Pacelli foi a terceira na categoria de Stand Up Paddle (SUP) feminino.

No atletismo, Caio Bonfim ficou com a prata na marcha de 20 quilômetros masculina e Érica Rocha de Sena levou o bronze na mesma categoria, mas no feminino.

Já no hipismo, o Brasil conquistou a prata na disputa por equipes e assegurou o bronze na categoria individual com Carlos Parro.

Fonte: Agência Brasil

Foto: Danilo Borges

Os dois representantes da Paraíba na Série C do Campeonato Brasileiro entraram em campo na noite deste domingo (4) pela 15ª rodada do Grupo A da competição. Em João Pessoa, no estádio Almeidão, o Botafogo-PB venceu o Confiança-SE por 2 a 0. Já o Treze, pelo mesmo placar de 2 a 0, foi derrotado pelo Sampaio Corrêa no estádio Castelão, em São Luís (MA).

Botafogo 2 x 0 Confiança

O jogo começou travado no meio. As equipes se estudando e tentando achar espaços no campo adversário. Com o passar dos minutos, pressionado por um bom resultado, o Botafogo-PB se atirou mais ao ataque, tomando a iniciativa das jogadas, mas sem oferecer grande perigo.

Em grande parte do primeiro tempo, o Confiança suportou bem a pressão do Belo e chegou a levar algum perigo nos contragolpes. No entanto, aos 41 minutos, Marcelinho derrubou Clayton na área e o árbitro marcou pênalti para o time pessoense. Na cobrança, Fred conseguiu converter a penalidade e abriu o placar. Genivaldo caiu pela direita e o zagueiro mandou um chute forte para a esquerda.

No segundo tempo, o Confiança ficou bastante acuado, sendo constantemente pressionado pelo Botafogo-PB. Aos 24 minutos, o Belo ampliou a diferença no placar. Nando roubou a bola pela esquerda, meteu no meio e Kelvin, do jeito que veio, mandou um chute forte para o gol de Genivaldo, balançando a rede.

Depois do segundo gol, o Botafogo-PB diminuiu um pouco o ritmo. Mesmo assim, o Confiança não conseguiu reagir. Com a vitória, o Belo quebrou um jejum de cinco partidas sem vitórias na Série C. O Alvinegro da Estrela Vermelha agora tem 21 pontos, ocupando a sexta colocação do Grupo A. O Confiança tem 24 pontos e ocupa a terceira posição, podendo ser ultrapassado pelo Ferroviário nesta segunda-feira (5).

Sampaio Corrêa 2 x 0 Treze

O Sampaio começou pesado para cima do Treze. Logo no primeiro lance de ataque do jogo, o lateral-esquerdo Romano acertou um chutaço e abriu o placar no Castelão para o time da casa.

Com a vantagem no marcador, o Sampaio se mostrou muito à vontade nos primeiros momentos de jogo, com troca de passes que deixavam o time do Treze sem a posse de bola.

Não demorou muito e, aos 19 minutos, o Sampaio Corrêa marcou o segundo gol. A jogada começou com Everton, pela direita, que cruzou certinho para Roney, que apenas colocou no fundo do gol.

No segundo tempo, o Sampaio continuou procurando manter a posse de bola e, com a dificuldade do Galo em reagir, garantiu a vitória, disparando na liderança com 30 pontos e garantindo a classificação para o mata-mata. O Treze permanece na nona posição, com 12 pontos, podendo virar lanterna nesta segunda-feira caso o ABC derrote o Ferroviário.

Fonte: Portal Correio

Foto: Paulo Cavalcanti/ Botafogo-PB

Tricampeã brasileira, Lena Guimarães conquistou o inédito ouro na final da prova de Surfe SUP (Stand Up Paddle) Race, nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019, na manhã desta sexta-feira (02). EUA ficam com a prata e Porto Rico com o bronze.

Atrás da norte-americana Candice Appleby durante quase toda a prova, brasileira consegue recuperação incrível e fatura o primeiro ouro pan-americano do Brasil na modalidade. Candice, por sua vez, chega na segunda colocação, enquanto a porto-riquenha Mariecarmen Rivera completa o pódio.

Emoção em família

Na torcida pela brasileira, a mãe Lúcia Guimarães, que assistiu à prova ao lado dos dois filhos Maui e Kauai, ficou bastante emocionada com a conquista inédita. “Eu esperava uma medalha, porque ela é muito boa, mas o ouro foi demais”, comemorou.

Stand up paddle

Integração do surfe clássico com o uso do remo, essa modalidade faz com que o atleta utilize o remo como auxílio para realizar as manobras com a prancha – que é um pouco maior que a do surfe clássico – nas ondas. Nas competições, a pontuação individual dos atletas é atribuída através da marcação dos árbitros envolvidos na disputa.

Fonte: R7

Foto: Divulgação

A quinta-feira (1º) do Brasil nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019 não foi tão frutífera quanto os dias anteriores. Apenas duas modalidades colocaram atletas no pódio, com um total de três medalhas: duas de prata e uma de bronze.

Grande expectativa da noite, as duas finais do boxe tiveram brasileiros derrotados. A outra medalha brasileira no ciclismo de estrada, na categoria por equipes. 

Confira os destaques do Brasil nesta quinta-feira de Pan:

Keno Marley perde decisão para cubano e fica com a prata

Estrante em Pans, o jovem Keno Marley, de apenas 19 anos, perdeu para o cubano Julio César La Cruz, favorito no duelo, na categoria até 81 kg. Na disputa, La Cruz se valeu de sua ótima técnica e esquiva e venceu com certa tranquilidade.

Em final disputada, Jucielen Romeu é derrotada por argentina

Em um confronto mais disputado, com placar de 29 a 28, Jucielen Romeu perdeu para a argentina Leonela Sanchez na final da categoria até 57 kg do boxe, e somou mais uma prata para a delegação brasileira.

Ciclismo de velocidade fica com o bronze

Na disputa do terceiro lugar no ciclismo de velocidade por equipes, diante do México, os brasileiros venceram graças a duas largadas falsas (apenas uma é permitida) dos adversários. Assim, o Brasil ganhou uma medalha de bronze no quadro geral.

Sobrinha de Fernando Meligeni estreia com vitória no tênis

Com a torcida do tio e campeão pan-americano de 2003 Fernando, Carol Meligeni estreou com vitória no Pan de Lima: ela bateu a argentina Victoria Bosio por 2 sets a 1 (com parciais de 6/1, 6/7 e 6/4) no torneio de simples do tênis.

Fonte: R7

Foto: Montagem/Wander Roberto e Washington Alves/COB

O Brasil pode assegurar, de forma antecipada, a presença na final da Copa Libertadores da América. Basta o Grêmio eliminar o Libertad nesta quinta-feira, na cidade de Assunção, no Paraguai. O triunfo gaúcho garantiria quatro representantes nacionais do mesmo lado da chave nas quartas de final da competição continental.

Na próxima etapa do torneio, o vencedor de Grêmio e Libertad enfrenta o Palmeiras. No mesmo lado da chave estão Flamengo e Internacional, que se classificaram nesta quarta-feira ao baterem, respectivamente, Emelec, do Equador, e Nacional, do Uruguai.

Do outro lado da chave, apenas equipes estrangeiras. O Boca Juniors eliminou o Cruzeiro e enfrenta o Cerro Porteño, do Paraguai. Por fim, LDU, do Equador, irá desafiar o poderoso Boca Juniors, da Argentina.

Em 2019, a Libertadores apresenta uma novidade na decisão do título. A final será disputada em jogo único, no dia 23 de novembro, na cidade de Santiago, no Chile.

Fonte: Gazeta Esportiva

Foto: Conmebol