Category

ESPORTES

Category

Empate em 3×3 e eliminação. Foi assim que o Botafogo-PB se despediu da Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira (3), ao enfrentar o Londrina-PR pelo jogo de volta na terceira fase da Copa do Brasil. No placar agregado, somado o jogo em João Pessoa, o Londrina se classificou passando pelo Belo por 5×3.

O primeiro tempo começou com as duas equipes se estudando, mas com o Belo na pressão por precisar do resultado de pelo menos dois gols de diferença para levar a decisão aos pênaltis ou três gols para levar a vaga no tempo normal.

Porém, quem abriu o placar foi o Londrina. Em bola levantada na área, a zaga do Botafogo-PB tentou marcar linha de impedimento, mas o zagueiro Augusto, do Londrina, cabeceou sozinho e marcou.

O gol acordou os jogadores do Belo que passaram a pressionar ainda mais o time paranaense. O Botafogo-PB teve chance aos 33 minutos, com Adalgisio Pitbull, que chutou para defesa do goleiro do Londrina.

Aos 34, Marcos Aurélio cobrou escanteio e quase marcou gol olímpico. De tanto pressionar, o Belo conseguiu o empate aos 40 minutos com Nando, que aproveitou rebote do goleiro e mandou para o gol.

No segundo tempo o Belo repetiu o mesmo erro defensivo do primeiro gol e permitiu ao Londrina voltar a frente do placar. Em nova cobrança de falta, a zaga do Botafogo-PB tentou novamente fazer linha de impedimento e, de novo, Augusto subiu sozinho na área e cabeceou para o fundo do gol.

O jogo permaneceu morno até os 24 minutos quando o Belo chegou ao empate em um golaço de Clayton, que partiu da intermediária, se livrou de dois marcadores e marcou um belo gol.

Depois do empate, Evaristo Piza tirou o único volante do Belo no jogo, Wellington Cézar, e colocou mais um atacante. Porém, o Londrina soube jogar no contra-ataque e marcou o terceiro aos 34 minutos com Luquinha, que recebeu passe de Oliveira e recolocou o time paranaense à frente do placar.

Aos 41 minutos o Belo ainda chegou ao empate com Nando. O atacante aproveitou rebote após cobrança de falta de Fábio Alves e marcou, mas não foi suficiente para o Botafogo-PB se classificar.

Após a derrota, o Belo retorna para João Pessoa, onde desembarca na tarde desta quinta-feira (4). O próximo compromisso do Botafogo-PB é contra o CSA-AL no domingo (7), às 18h, no estádio Almeidão, na Capital, pelas quartas de final da Copa do Nordeste. O duelo é em jogo único e quem vencer se classifica. O empate leva a decisão para os pênaltis.

Fonte: Portal Correio

O Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP) aumentou as penas de Moisés e Gustavo Henrique por conta do entrevero entre os dois no clássico Palmeiras 0 x 0 Santos, na primeira fase do Paulista. O gancho, que era de uma partida, passou a quatro para cada um. Assim, a princípio eles não podem mais jogar neste Estadual, que terá, no máximo, mais três jogos para cada equipe. O resultado revoltou o Verdão.

O clube não se pronunciou oficialmente, mas pessoas ligadas à diretoria consideraram a pena absurda. Primeiro, alegam que Moisés foi agredido na jogada, mas também consideram que esta é uma retaliação da Federação Paulista de Futebol e do próprio TJD-SP.

O Palmeiras e a FPF estão rompidos desde a final do Paulista de 2018, em que o Verdão considera ter levantado provas de que houve interferência externa contra o Corinthians. Nem a Federação nem o TJD levaram o caso adiante, e as críticas alviverdes foram públicas.

Neste ano, a diretoria palmeirense já mostrou incômodo em duas vezes com o uso do VAR – Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da FPF, promete buscar uma reconciliação após o Estadual. Mas na semana passada, Antônio Olim, presidente do TJD-SP, pediu para que o clube parasse de chorar. Pessoas ligadas ao Verdão veem influência da fala no resultado desta noite.

Moisés e Gustavo foram novamente julgados, pois Palmeiras e Santos entraram com pedido de efeito suspensivo após o gancho de uma partida. Não há como recorrer mais no TJD-SP, mas o Verdão levará o caso ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro (RJ).

Fonte: LANCE!

O Campeonato Carioca pode carecer, em alguns momentos, de qualidade técnica e organização. A emoção, no entanto, quase sempre está presente. Neste domingo, os reservas do Flamengo venceram o Vasco nos pênaltis depois de buscarem o empate em 1 a 1 com um gol no último lance da partida e conquistaram a Taça Rio, o segundo turno do Estadual.

Como no clássico da Taça Rio, o jogo terminou empatado e com gol nos acréscimos, desta vez flamenguista. Depois de abrir o placar com o jovem Tiago Reis, o Vasco perdeu chances preciosas no contra-ataque, abriu mão de jogar em boa parte do segundo tempo e chamou o Flamengo para seu campo. No final dos acréscimos, quase no último lance do jogo, Arrascaeta marcou de cabeça e forçou as penalidades.

Nos pênaltis, só Rodinei errou para o Flamengo, enquanto que Rossi, Tiago Reis e Werley desperdiçaram do lado vascaíno, dando o título ao time rubro-negro. 

O desfecho da Taça Rio, muito positivo para o Fluminense, que seria eliminado do torneio caso o Vasco vencesse, opõe nas semifinais do Campeonato Carioca o Flamengo e Fluminense e o Vasco terá como adversário o Bangu. Os dois jogos serão no próximo final de semana. Antes disso, na quarta-feira, o time rubro-negro enfrenta o Peñarol, do Uruguai, no Maracanã, em duelo da terceira rodada da primeira fase da Copa Libertadores.

O JOGO – O duelo opôs dois times com propostas distintas. Mesmo sem um titular em campo, o Flamengo buscou mais o jogo no primeiro tempo e apostou, sobretudo, em Vitinho e Arrascaeta, além do jovem Lucas Silva. O Vasco teve até mais posse de bola, mas não incomodou o rival. Vitinho foi o destaque da primeira etapa. O atacante rubro-negro finalizou quatro vezes e, na mais perigosa deles, acertou chute forte muito perto do gols de Fernando Miguel. De cabeça, Thuler também assustou.

Na etapa final, os ataques, enfim, funcionaram. O Vasco, extremamente aguerrido e disciplinado em campo, contou com a estrela de sua joia mais valiosa para marcar: Tiago Reis. Aos nove minutos, depois de escanteio da esquerda, o atacante subiu mais alto na primeira trave e cabeceou no canto oposto em que estava. A bola ainda bateu na trave antes de entrar no gol de César.

Depois de abrir o placar, o Vasco praticamente abriu mão de jogar. Limitou-se a se defender e a postura, mesmo que muito aguerrida por parte dos jogadores, custou caro. Na pressão final, o Flamengo, depois de uma blitz meio desordenada, empatou a partida com Arrascaeta. O uruguaio, contratação mais cara da história do clube, testou firme cruzamento de Bill da direita e deixou tudo igual aos 48 minutos.

Nos pênaltis, Rodinei parou em Fernando Miguel e está foi a única notícia boa para os vascaínos já que Rossi mandou para fora, Tiago Reis teve seu pênalti defendido por César e Werley mandou para a lua a chance de o Vasco ser campeão. 

VASCO 1 (1) x (3) 1 FLAMENGO

VASCO – Fernando Miguel; Raúl Cáceres, Werley, Leandro Castan (Ricardo) e Danilo Barcelos; Bruno Silva (Raul), Lucas Mineiro e Bruno César (Thiago Galhardo); Rossi, Tiago Reis e Marrony. Técnico: Alberto Valentim. 

FLAMENGO – César; Rodinei, Thuler (Bill), Rhodolfo e Trauco; Hugo Moura, Ronaldo (Vinícius) e Arrascaeta; Vitinho, Lucas Silva (Vitor Gabriel) e Uribe. Técnico: Leomir (auxiliar).

GOLS – Tiago Reis, aos nove, e Arrascaeta, aos 48 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Werley, Bruno César, Bruno Mineiro (Vasco); Trauco, Thuler e Vinícius(Flamengo).

ÁRBITRO – Rodrigo Nunes de Sá.

RENDA – R$ 1.361,328,00.

PÚBLICO – 34.776 pagantes (38.787 no total).

LOCAL – Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

Fonte: Superesportes

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

O primeiro confronto entre São Paulo e Palmeiras pela semifinal do Campeonato Paulista terminou empatado, na noite deste sábado, no Morumbi. O zero a zero no placar não refletiu o que as equipes fizeram em campo. Nem mesmo a polêmica com o uso do VAR, o árbitro de vídeo, que anulou a marcação de um pênalti para os alviverdes.

O lance foi aos 37 minutos do primeiro tempo. Dudu caiu na grande área após receber um toque de Reinaldo. O árbitro Vinícius Forlan marcou a penalidade com convicção. No entanto, após quatro minutos (isto é, aos 41), ele anulou a marcação ao rever o lance em uma tela do lado do campo.

Fora a decisão polêmica, a primeira partida entre São Paulo e Palmeiras teve outros atrativos, especialmente na etapa inicial. Como bolas na trave, chapéus de ambos os lances e boas defesas dos goleiros, especialmente de Tiago Volpi ao espalmar um chute dado por Dudu ainda no primeiro tempo (veja mais abaixo).

O empate deixa o confronto em aberto para o próximo domingo, quando os times voltam a se encontrar, às 16h (de Brasília), no Allianz Parque. Novo empate fará que o finalista seja conhecido na decisão por pênaltis. Quem vencer, ficará com a vaga.

O clássico deste domingo marcou também a despedida do técnico interino Vagner Mancini, que voltará a trabalhar como coordenador de futebol. A partir de terça-feira Cuca começará a trabalhar como treinador. Inclusive, ele comandará o time tricolor na partida no Allianz Parque.

Com Mancini, o São Paulo somou três vitórias, quatro empates e duas derrotas.

Confira abaixo tudo o que aconteceu neste sábado de Choque Rei:

Olha o Pato aí

Antes de a bola rolar, o atacante Alexandre Pato, 29, subiu ao gramado do Morumbi e fez uma saudação especial aos torcedores tricolores. Ele assistiu o clássico em um camarote com a diretoria do futebol e o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Pato foi contratado na última quarta-feira e apresentado na sexta, mesmo dia que já começou a treinar.

Defesa poupada

Pelo terceiro jogo consecutivo, o São Paulo repetiu a mesma escalação, com Hudson na lateral direita e o trio de garotos Luan, Liziero e Igor Gomes no meio de campo. As pontas ofensivas ficaram com Antony e Everton Felipe, cabendo a Pablo jogar mais centralizado no ataque.

O técnico Vagner Mancini tinha duas poderia fazer mudanças. Uma delas aproveitar o retorno do Arboleda para a zaga –o equatoriano se ausentou dos dois últimos jogos para defender a seleção de seu país– e a outra Nenê, que voltou a ficar disponível após 30 dias tratando um trauma no joelho esquerdo.

Se Mancini não mexeu porque não quis, Felipão sim. O técnico palmeirense já havia dito que trocaria quatro nomes e foi o que fez. Jogou com a defesa do time reserva: Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luís. Em todas as outras posições, o treinador utilizou titulares.

VAR

Novidade na fase final do Paulistão, o VAR, sigla para árbitro de vídeo, foi acionado logo nos minutos finais, aos 2. A arbitragem conferiu se o zagueiro Bruno Alves usou força excessiva e também o braço no rosto de Deyverson para fazer um desarme pelo alta.

Apesar de a partida ter parado por quase um minuto, nada além da falta foi marcado.

O recurso voltaria a ser usado…

Finalizações

O primeiro tempo foi de muita marcação, alguns lances nervosos (como uma falta de Antony por trás em Felipe Melo e depois o revide do volante palmeirense), outros bonitos (caso do chapéu de Scarpa em Reinaldo e depois o troco do lateral no meia, e outro chaéu de Dudu) e ainda teve finalizações perigosas. Faltou só o gol.

A primeira grande tentativa foi aos 14, quando Everton Felipe bateu de fora da área e a bola quase entrou no ângulo da meta de Weverton. Depois, aos 22, Dudu encheu o pé da intermediária e acertou o travessão da baliza são-paulina.

Cinco minutos depois foi a vez do São Paulo carimbar o travessão. Dessa vez em cabeçada de Pablo, na pequena área, após cruzamento de Liziero.

Mais dois bons lances foram criados antes do intervalo. Aos 32, Dudu recebeu na ponta da área, cortou para a esquerda e chutou. Volpi espalmou. Dois minutos depois, Pablo chutou após cruzamento de Hudson e a bola passa com perigo rente ao gol de Weverton.

Pênalti? Nada disso

O lance que marcou o primeiro tempo foi aos 37. Dudu invadiu a área e, em disputa com Reinaldo, acabou caindo. O árbitro Vinícius Furlan apito penalidade máxima sem ter qualquer dúvida. Acabou cercado pelos são-paulinos e, avisando pelos operadores do VAR, decidiu consultar o vídeo.

Aos 41, quatro minutos depois de tomar a decisão, ele decidiu anular a penalidade ao rever o lance. Os torcedores no Morumbi explodiram como se tivesse saído um gol. Já os jogadores do Palmeiras ficaram irritados e coube a Felipão pedir calma, cabeça no lugar.

Mudança e gol anulado

O São Paulo teve uma mudança na volta do intervalo, com a entrada de Arboleda no lugar de Anderson Martins. A ideia de Mancini era ter alguém mais próximo de Dudu na marcação. Deu certo no início. Aliás, tempo em que o time tricolor acelerou seu jogo.

O bom momento até teve rede balançando, mas a arbitragem anulou o gol de Bruno Alves, aos 7 minutos. Isso porque o zagueiro tricolor fez falta em Marcos Rocha ao subir para cabecear a bola após cobrança de escanteio de Igor Gomes.

Ficha técnica

SÃO PAULO 0X0 PALMEIRAS

CAMPEONATO PAULISTA 2019 – SEMIFINAL

DATA: sábado, 30 de março de 2019

HORÁRIO: 18h (de Brasília)

LOCAL: Estádio Cícero Pompeu de Toledo, em São Paulo (SP)

PÚBLICO: 43.202 presentes

RENDA: R$ 1.809.853,00

ÁRBITRO: Vinicius Furlan

ASSISTENTES: Marcelo Carvalho Van Gasse e Danilo Ricardo Simona Manis

CARTÃO AMARELO: Arboleda, Hudson, Liziero e Luan (SPO); Felipe Melo, Gustavo Scarpa, Marcos Rocha e Victor Luís (PAL)

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Hduson, Bruno Alves, Anderson Martins (Arboleda) e Reinaldo; Luan, Liziero e Igor Gomes (Nenê); Antony, Pablo e Everton Felipe (Éverton). Técnico: Vagner Mancini

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha (Mayke), Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luís (Diogo Baborsa); Felipe Melo, Bruno Henrique e Ricardo Goulart (Lucas Lima); Gustavo Scarpa, Dudu e Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Fonte: ESPN

Chegou a última rodada da fase de grupos da Copa do Nordeste. Na primeira edição com um novo formato, o torneio parece estar agradando; afinal, não tem faltado emoção nas partidas e na busca pela classificação. Neste sábado, inclusive, toda a oitava rodada acontece simultaneamente, às 16h. No Estádio Rei Pelé, em Maceió, o CRB tenta garantir a classificação no Grupo A contra o Botafogo-PB, clube que já está classificado e briga apenas para chegar ao mata-mata como líder do Grupo B.

Dono da casa, o CRB faz uma boa temporada. O time comandado pelo técnico Roberto Fernandes está garantido na decisão do Campeonato Alagoano, além de estar na disputa da Copa do Brasil, na qual vai encarar o Bahia na terceira fase. Na Copa do Nordeste, porém, o desafio tem sido bem mais complexo. Com oito pontos somados, o Galo venceu apenas uma vez, empatando outras cinco e perdendo também em uma oportunidade.

A falta de uma sequência de vitórias deixou o time na última rodada sem a classificação antecipada: está na terceira posição do Grupo A, com dois pontos a menos que o líder Fortaleza, um a menos que o vice Santa Cruz e com a vantagem de dois pontos para Salgueiro e Vitória, que ameaçam roubar a sua vaga. Porém, para não deixar escapar, o time alagoano quer a vitória em casa, mas para isso, precisa derrotar um dos três invictos na competição, o Botafogo-PB.

Time de melhor campanha do regional até aqui, o Botafogo-PB ainda não está garantido com a classificação em primeiro lugar do Grupo B. Isso porque o vice-líder, Ceará, soma 15 pontos e vai visitar o Salgueiro fora de casa neste sábado. Em caso de vitória do Vozão e derrota do Belo, a ponta fica com a equipe cearense. Vale destacar que, se o Alvinegro paraibano empatar os cearenses vencerem, os dois clubes empatam no número de vitórias e a decisão vai para o saldo de gols. Neste caso, o Alvinegro cearense está na frente.

Na temporada 2019, o Belo faz grande campanha. O time acabou de se classificar para a semifinal com o melhor desempenho de toda a primeira fase, além de conseguir a vaga antecipada nas quartas de final da Copa do Nordeste. Na Copa do Brasil, os botafoguenses estão na terceira fase, mas foram derrotados pelo Londrina dentro de casa na partida de ida, por 2 a 0. Aí está o desafio mais complicado da equipe neste primeiro semestre.

O CRB deve ir a campo logo mais com o que tem de melhor à disposição do técnico Roberto Fernandes. O zagueiro Wellington Carvalho, por exemplo, que desfalcou o time na última quarta-feira, pelo Campeonato Alagoano, retoma a sua posição no lugar de Guilherme Mattis. Outra novidade no 11 titular deve ser a saída do Atacante Mailson e a entrada do volante Lucas.

O técnico Evaristo Piza tem dois desfalques certos para a partida de logo mais. O zagueiro Willian Goiano e lateral-esquerdo Fábio Alves receberam o terceiro cartão amarelo na vitória sobre o Sampaio Corrêa na rodada passada. Com isso, Donato e Charles devem herdar a vaga. Outro que deve estar fora é o atacante Dico, que já não jogou contra a Bolívia Querida e também no meio de semana pelo Campeonato Paraibano, na vitória sobre o CSP. Fora isso, o Belo pode contar com os principais nomes, já que a classificação em primeiro lugar é de suma importância na fase final do Nordestão.

A arbitragem vai ser comandada por Emerson Ricardo de Almeida Andrade (BA), com Elicarlos Franco de Oliveira (BA) e Paulo de Tarso Bregalda Gussen (BA). Hélder Brasileiro de Aquino (AL) é o quarto árbitro.

Fonte: Globoesporte.com

O Pleno do STJD do Futebol não acatou o pedido da Aparecidense, que pediu a anulação do julgamento que resultou na impugnação da partida contra a Ponte Preta, pela primeira fase Copa do Brasil. Após empate por 4 a 4, o voto do Presidente da entidade, Paulo César Salomão Filho, teve peso dois e indeferiu o pedido. Deste modo, os clubes voltam a se encontrar na próxima quarta-feira, às 19h15, em Aparecida de Goiânia.

Vale relembrar, que a Aparecidense venceu a Ponte Preta por 1 a 0 e a partida acabou sendo impugnada e será realizada novamente na próxima quarta-feira, dia 3, no estádio Anníbal Batista de Toledo. A ação foi protocolada pela Ponte Preta, que alegou ter tido interferência externa no gol anulado marcado pela Ponte Preta ao final do segundo tempo.

Com a conclusão do caso no STJD, o clube goiano pretende entrar na Justiça Comum para poder anular a decisão pela entidade do futebol. Se a Aparecidense entrar com recurso, terá que acionar a Corte Arbitral da Fifa. Além disso, o fato poderia paralisar a Copa do Brasil.

  • Estamos estudando entrar na Justiça Comum para paralisar a Copa do Brasil. Foi muito feio o que aconteceu aqui – afirmou Mendes ao “Globo Esporte”.

Este foi o segundo julgamento. No primeiro, realizado no início do mês em Fortaleza, também com o voto do presidente do STJD como desempate, o que deu a derrota para Aparecidense nos tribunais.

Em julgamento na semana passada, pela Terceira Comissão Disciplinar do STJD, os três membros da arbitragem envolvidos foram suspensos. O delegado Adalberto Grecco (TJD-GO) pegou 160 dias, o árbitro Léo Simão Holanda-CE pegou 360 dias e o auxiliar Samuel Oliveira Costa-CE apenas 15.

O classificado já tem compromisso contra o Vila Nova-GO na terceira fase. Esse julgamento era um empecilho para a Confederação Brasileira Futebol (CBF) dar sequência na competição.

Fonte: LANCE!

Segundo o site Todo Sobre Camisetas, especializado no vazamento de uniformes de futebol antes do lançamento oficial, a seleção brasileira terá uma grande novidade para a Copa América 2019.

Ao invés do uniforme 2 azul, a equipe comandada por Tite terá uma indumentária branca como camisa alternativa para a competição, que acontece entre 14 de junho e 7 de julho, no Brasil.

A novidade é uma homenagem ao título da Copa América 1919, que foi a primeira conquistada pelos brasileiros na história. Na final, a seleção bateu o Uruguai, no Estádio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro, com gol do lendário Friedenreich.

Apesar de não ter sido lançado oficialmente, o uniforme já pode ser encontrado em sites internacionais.

No México, por exemplo, ela está à venda por 1.499 pesos mexicanos, ou R$ 303.

O Brasil estreia na Copa América dia 14 de junho, contra a Bolívia, no Morumbi.

Venezuela e Peru são as outras equipes que formam o grupo A.

Fonte: ESPN

Após explodir a notícia do interesse do Santos em contratar de volta o atacante Ricardo Oliveira, o Atlético-MG vetou nesta quinta-feira a saída do camisa 9.

Ao jornal Superesportes, o diretor de futebol do Galo, Marques, viu a aproximação do Peixe como “normal”, mas negou que o centroavante deixará Belo Horizonte.

“Interesse é normal, o Ricardo Oliveira é um grande artilheiro, um baita jogador, cara de grupo. Sondagens, interesse, isso é normal no futebol. Mas o Atlético não tem interesse em liberá-lo”, salientou.

Ainda de acordo com o diário, a multa rescisória do matador para o mercado nacional beira o absurdo: R$ 200 milhões.

Jogador do Atlético desde 2017, Oliveira tem contrato com os alvinegros até 2020.

Desde que chegou a Minas Gerais, o atacante registra 66 partidas e 32 gols (média de 0,48/jogo), além de oito assistências.

Nesta temporada, ele tem 10 gols em 10 partidas pelos mineiros.

Fonte: ESPN

O Botafogo-PB venceu o CSP na noite desta quarta-feira (27), no Estádio Almeidão, em João Pessoa, pelo placar de 2 a 0. Os gols foram marcados por Fábio Alves e Rogério. A partida marcou a última rodada da primeira fase do Campeonato Paraibano de 2019. O resultado terminou garantindo ao Belo a liderança geral da competição e ao Tigre o rebaixamento à segunda divisão.  

O gramado molhado das fortes chuvas que caíram em João Pessoa no início da noite, terminou atrapalhando um pouco a partida. O CSP, que foi o mandante do jogo, conseguiu fazer um primeiro tempo equilibrado contra o Botafogo-PB, inclusive, acertando duas bolas na trave. Mesmo assim, o Alvinegro da Estrela Vermelha abriu o placar com Fábio Alves, de pênalti, ainda na primeira etapa.

O CSP, que precisava reagir para se garantir na elite do Paraibano, acabou vendo Rogério ampliar para o Belo na segunda etapa, decretando o descenso do Tigre, no grupo A da competição.

SEMIFINAIS

O Botafogo-PB agora enfrentará o Nacional de Patos na semifinal do Campeonato Paraibano. A partida de ida ocorrerá no dia 10 de abril, no Estádio José Cavalcanti, no município de Patos. O jogo de volta acontecerá no dia 14, no Estádio Almeidão, em João Pessoa.


REBAIXADOS

O CSP fez a pior campanha do grupo A da competição e por isso foi rebaixado.


No grupo B, o rebaixado foi o Serrano-PB, que empatou em 3 a 3 com a equipe do Perilima, em partida movimentada no Estádio Presidente Vargas, em Campina Grande.


CLASSIFICAÇÃO FINAL

GRUPO A

1. Botafogo-PB, 24p
2. Nacional de Patos, 15p
3. Sousa , 15p
4. Treze, 11p
5. Serrano-PB, 7p

GRUPO B

1. Atlético-PB, 22p
2. Campinense, 17p
3. Perilima, 11p
4. Esporte de Patos, 10p
5. CSP, 8p

Fonte: Portal WSCOM

Foto: Paulo Cavalcanti/Botafogo-PB

Tradicional crítico de Neymar, o ex-atacante francês Christophe Dugarry, campeão mundial em 1998, voltou a falar do brasileiro em entrevista à rádio RMC.

“Pessoalmente, vendia já. Claro que não o deixava sair sem ver quem poderia contratar. Mas se receber 250 milhões de euros, mais o salário que ele recebe, podia contratar três ou quatro reforços”.

Neymar se recupera de uma lesão no quinto metatarso do pé direito e deve voltar aos gramados em abril, após longa pausa para tratamento.

Fonte: Esporte ao Minuto