A construção do Hospital da Mulher em Natal, obra que será tocada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), conseguiu um avanço esta semana. A prefeitura da cidade cedeu oficialmente a área para a obra. A cerimônia ocorreu na sexta-feira (12).

A obra deve levar três anos para ficar pronta, oferecerá 200 leitos e tem orçamento inicial de R$ 10 milhões. De acordo com o projeto, o hospital terá maternidade, leitos de ginecologia e de obstetrícia, além de unidade de atendimento intensivo (UTI) materno e neonatal.

De acordo com a UFRN, a nova unidade de saúde terá ainda um acelerador linear, equipamento de alta tecnologia usado para o tratamento de câncer. Além disso, quando estiver funcionando, o hospital vai abrigar pesquisas, extensão e ensino.

O terreno cedido fica no bairro Potengi, Zona Norte de Natal, e tem 16,4 mil metros quadrados de área. Esse terreno fica vizinho ao Hospital Santa Catarina.

A ideia é que além de atender mulheres de Natal, a nova unidade receba mulheres de toda a Região Metropolitana. Agora, após a doação oficial da área, o próximo passo do projeto é promover a licitação da obra.

Hospital da Mulher em Natal deve gerar 1.200 empregos diretos

De acordo com o professor Kleber Morais, que até janeiro presidiu a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), o novo hospital vai promover uma grande melhora no atendimento a mulheres e crianças quando estiver funcionando.

“Ainda temos uma alta demanda na Maternidade Januário Cicco e a chegada desse equipamento na zona norte vai ajudar a desafogar o atendimento e melhorar a resposta para as pacientes que chegam”, disse.

Quando o projeto foi lançado peça Ebserh, em março de 2018, Kleber Morais informou que o novo hospital iria gerar 1.200 empregos diretos, todos ocupados via concurso público. E que o investimento total seria de R$ 200 milhões.

Kleber Morais foi presidente da Ebserh até 31 de janeiro de 2019. Em seu lugar assumiu Oswaldo de Jesus Ferreira, general da reserva do Exército Brasileiro, empossado pelo ex-ministro da Educação, Ricardo Vélez.

Fonte: OP9

Foto: EBSERH