A família de uma paraibana, que segue desaparecida em meio a escombros após desabamento de dois prédios no Rio de Janeiro, ganhou um pouco a mais de esperança nas últimas horas. É que o carro que estava estacionado na garagem  de um dos edifícios do condomínio Figueira foi localizado pela equipe do Corpo de Bombeiros.

Em contato com o Portal Correio, Jurandir Silva, que é  irmão de uma das vítimas, está no Rio de Janeiro, e disse que o automóvel não teve o teto totalmente destruído, o que dá um ânimo extra na busca por seus familiares. A cunhada dele é de Solânea, e o irmão, apesar de ter raízes na Paraíba, nasceu no Rio de Janeiro.

Ele disse que os trabalhos das equipes de resgate não pararam desde o momento da tragédia, e que o clima no local é de muita apreensão. Jurandir explicou que como o teto do automóvel não foi totalmente atingido, as chances de seus familiares – dois adultos e duas crianças – serem encontrados com vida aumentou um pouco. “Eles (os bombeiros) estão quebrando a laje, tentando um acesso por baixo, para tentar resgatar a família do meu irmão. Apesar de muita gente já ter sido resgatada sem vida, a nossa esperança continua. Peço a todos muita oração nesse momento”, afirmou.

O sargento Leonardo, do Corpo de Bombeiros do Rio, disse ao Portal Correioque o último boletim com o número de vítimas foi atualizado por volta das 22h desse sábado (13). Segundo ele, até o momento nove pessoas morreram, enquanto 10 foram resgatadas com vida.

Leonardo não soube precisar o provável número de desaparecidos, mas revelou que existe uma perspectiva desse  número girar em torno de 15 pessoas.

Ao todo, aproximadamente 100 pessoas estão envolvidas no trabalho de resgate das vítimas do desabamento dos dois edifícios. “Os trabalhos seguem sem previsão para terminar. Temos que remover todo aquele entulho para encontrar as vítimas, mesmo que não estejam mais com vida”, explicou o militar.

*Matéria editada às 10h para atualizar o número de mortos resgatados.

Fonte: Portal Correio

Foto: Centro de Operação da Prefeitura do Rio