Category

POLÍCIA

Category

Uma operação conjunta deflagrada nesta quarta-feira (25) descobriu e lacrou duas fábricas de álcool líquido, com indicação de que seria de 70%, nos municípios de Santa Rita e João Pessoa, após constatar uma série e graves irregularidades nas áreas fiscal, sanitária, ambiental, de segurança e até de funcionamento.

Participaram da operação a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), a Polícia Civil e o Batalhão Ambiental, além do Instituto de Polícia Científica, da Sudema (Superintendência de Administração do Meio Ambiente do Estado), e da Agevisa (Agência Estadual de Vigilância Sanitária).

Após uma ação fiscal da Gerência Executiva de Combate à Fraude Fiscal da Sefaz detectar irregularidades fiscais na compra de álcool por uma distribuidores de medicamentos, envolvendo uma fábrica em Santa Rita, os auditores encontraram também outras graves irregularidades na fábrica, o que levou a acionar outros órgãos como as Polícias Civil e Científica, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), a Sudema (Superintendência de Administração do Meio Ambiente do Estado), além de técnicos do Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba) para ampliar as investigações. Durante a ação, o proprietário do primeiro alvo no município de Santa Rita foi preso e conduzido à Delegacia do município.

Mais de 100 mil litros vendidos – Segundo o gerente executivo de Combate à Fraude Fiscal, Francisco Cirilo Nunes, a fábrica de álcool líquido estava há oito meses sem declarar ao Fisco o seu faturamento, mas a maior gravidade encontrada foi no acondicionamento do líquido inflamável e nas instalações precárias do galpão onde funcionava a fábrica, colocando em risco não apenas a vida dos funcionários, mas a da população.

“Cerca de 90% das bombonas, recipientes de grande porte para armazenar o álcool líquido, estavam com tarjas e selos de que tinham sido já usados por produtos corrosivos e que foram reutilizados sem qualquer higienização necessária, o que pode trazer grandes riscos à saúde da população. Essa fábrica em apenas 23 dias neste mês de março já havia comercializado 101 mil litros para hospitais, farmácias e distribuidores de medicamentos do Estado. No local, era visível a falta de higiene, além da falta de acondicionamento do produto, que é extremamente inflamável e de risco. No galpão, não encontramos também qualquer comprovação técnica de que essas bombonas passaram por ações de higienização corretas e necessárias para armazenar o produto, muito procurado agora diante da pandemia do coronavírus, pois tem sido  usado cotidianamente para desinfecção de superfícies, equipamentos hospitalares e de pessoas”, detalhou Cirilo, acrescentando que além do cancelamento da inscrição estadual do estabelecimento, que funcionava com uma série de irregularidades, a fábrica foi também lacrada pelos auditores fiscais.

A partir dos documentos encontrados na fábrica de Santa Rita foi possível chega e identificar o segundo alvo no final da tarde desta quarta-feira, que era uma fábrica na Rua da Areia, no centro histórico de João Pessoa. “O caso ainda era mais grave. O estabelecimento funcionava sem alvará de funcionamento, com instalações e equipamentos extremamente precários, com fortes indícios de sonegação fiscal. O proprietário não estava no local, mas apenas um responsável técnico”, explicou o secretário executivo da Sefaz, Bruno Frade, que liderou a operação do 2º alvo.

O gerente executivo de Combate  completou que os técnicos do Lacen e da polícia científica vão investigar ainda a qualidade e a eficiência do produto, que tem ter a composição a 70% para a sua comercialização. “A localização e o endereço da fábrica foram as etapas mais difíceis da ação fiscal. No galpão, não havia placa ou qualquer informação de funcionamento de uma fábrica de álcool naquele local, por isso houve dificuldade da equipe do Gecof localizá-la”, acrescentou Cirilo Nunes, informando que o estabelecimento não tinha autorização para fabricar álcool em gel, mas apenas líquido.

As investigações da Gerência Executiva de Combate à Fraude Fiscal da Sefaz começaram por uma ação fiscal numa distribuidora de medicamentos da Grande João Pessoa, que havia comprado 30 mil litros de álcool líquido de um fornecedor, mas que em seu depósito não havia qualquer recipiente. Após levantamento de documentos fiscais, descobrimos que entre 1º a 23 deste mês de março, essa fábrica de Santa Rita, que fornecia o produto, havia vendido 101 mil litros de álcool a 70% para farmácias, hospitais e distribuidoras e medicamentos. Contudo, encontramos uma grave irregularidade do estabelecimento: há oito meses a fábrica não declarava seu faturamento ao Fisco. Com base nas investigações e informação, montou-se uma ação fiscal que desencadeou na descoberta in loco de uma série de irregularidades.  A localização do estabelecimento foi uma das etapas mais complicada para os auditores fiscais da Gecof na ação fiscal, pois o estabelecimento, uma espécie de galpão, não tinha qualquer identificação que indicasse de ser tratar de uma fábrica de álcool.

Fonte: Ascom/SefazPB

Uma menina de apenas 13 anos de idade sofreu tentativa de homicídio, na noite desta quarta-feira (25/03), por volta das 20h20, em Pirpirituba, Agreste paraibano. O caso teria sido registrado no bairro Alto Damião. 

 Informações que a tentativa de homicídio ocorreu próximo ao Centro de Convivência do bairro, onde a garota reside. 


  Contra ela, o suspeito, que seria do próprio bairro, deflagrou alguns tiros, supostamente de calibre 32, segundo noticia de moradores. Um deles se alojou no pescoço e outros dois atingiram a perna esquerda dela. 


  A motivação ainda é desconhecida. 


 Uma equipe do Samu quem se deslocou até o local e socorreu a menina para o Hospital Regional de Guarabira e, em seguida, encaminhada para o Hospital de Emergência e Trauma, em João Pessoa.  


  Policiais foram acionados, realizaram rondas pelo bairro, mas até às 22h desta quarta-feira o suspeito ainda não tinha sido preso. 


  A garota é uma das filhas mais nova de Luciana Silva dos Santos, morta em abril de 2019, no sítio Salto do Bode, zona rural de Bananeiras, pelo companheiro. 

Fonte: Blog Classe A da Notícia

O Copom de Alagoa Grande foi acionado por populares para designar uma viatura para atender uma ocorrência envolvendo dois senhores. Os quais estavam em um atrito verbal.


No local esteve presente a VTR 6792 comandada pelo Cabo Nelson, que manteve contato com a vítima e esta relatou que é reciclador de objetos não perecíveis, assim como o acusado, e este, por sua vez, estava inconformado com o fato dela está naquele local recolhendo uns papelões.

Diante disto, ameaçou-a, bem como arremessou em direção a mesma uma foice sem cabo. A guarnição conduziu vítima e acusado, bem como o instrumento do crime (foice) utilizado pelo último a Delegacia de Polícia da cidade de Alagoa Grande para a lavratura dos procedimentos legais cabíveis.

Blog do João Moura com Assessoria

Um homem de 19 anos foi preso em flagrante pela Polícia Militar após ser pego com 06 trouxinhas de uma substância semelhante à maconha na Praça da Juventude, Centro da cidade de Guarabira.

Por volta das 22:25 hs da noite desse domingo (22), a guarnição da Força Tática ao realizar o patrulhamento nas proximidades da Praça da Juventude visualizou um indivíduo em atitude suspeita, o qual ao perceber a guarnição se desfez de um objeto, que logo após foi surpreendido pela guarnição, a qual voltou a pé e flagrou-o recolhendo 06 (seis) trouxinhas de uma substância semelhante à maconha, que estava debaixo de um banco da praça, além de encontrar em sua posse uma quantia R$ 61,00 (sessenta e um) reais em espécie.

O acusado e todo material apreendido foram conduzidos à delegacia sendo apresentados ao delegado local, onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante delito por tráfico de drogas.

Blog do João Moura com Assessoria

A Secretaria da Segurança e da Defesa Social da Paraíba orienta que a população acione os telefones 190 (Polícia Militar) e 193 (Polícia Civil) caso tomem conhecimento de locais que continuem permitindo a aglomeração de pessoas durante este período de combate à disseminação de Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Policiais irão até os pontos indicados para conscientizar sobre a necessidade do isolamento domiciliar.

De acordo com o coordenador do Centro Integrado de Operações (Ciop), coronel Júlio César, a partir do contato e da indicação desses locais, que podem ser festas, praias, praças, ou qualquer outra situação na qual exista grande número de pessoas, as viaturas serão despachadas para a realização do trabalho preventivo.

“O nosso objetivo é seguir as orientações das autoridades sanitárias e do próprio Governo do Estado. As pessoas precisam se conscientizar de que esta é a hora de permanecer em casa”, frisou.

Ações de prevenção por parte dos órgãos operativos da Segurança vêm sendo colocadas em prática em diversos municípios, do litoral até o sertão do Estado, desde a noite de sexta-feira (20).

“A Secretaria da Segurança e da Defesa Social, com a Secretaria de Saúde, tem feito operações no sentido de orientar as pessoas a se conscientizarem para a gravidade da situação, mas também iremos, em determinado momento, fazer cumprir a legislação. A desobediência a essas orientações de vigilância sanitária implica em crime. Então, estabelecimentos que permanecerem abertos, comércios, serão responsabilizados por crime de desobediência à instrução de vigilância sanitária”, explica o secretário Jean Nunes.

Segundo os artigos 267 e 268 do Código Penal Brasileiro (CPB), são crimes contra a saúde pública causar epidemia mediante a propagação de genes patogênicos e infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa, respectivamente.

Fonte: Portal Correio

Um aposentado de 69 anos, identificado por Antônio da Silva Oliveira, foi morto quando estava sentado na calçada de sua residência, em Brejo dos Santos, na noite desta sexta-feira (20). Segundo informações dos vizinhos a Polícia Militar, dois homens teriam chegado ao local, numa motocicleta, e passaram a atirar contra o idoso.

Mesmo ferido, Antônio ainda conseguiu entrar dentro de casa, mas foi atingido com mais tiros, na sala do imóvel, onde morreu.

A polícia efetuou rondas em regiões próximas ao local do crime, mas, até o momento, ninguém foi preso.

Este foi o terceiro homicídio na cidade de Brejo dos Santos neste ano de 2020.

Fonte: Paraiba.com.br

Por volta das 20h00min desta quarta-feira (18) a guarnição de R/P foi solicitada através de uma ligação telefônica, onde o solicitante não se identificou se, informando que dois indivíduos não identificados por populares da cidade supracitada, trafegavam em uma motocicleta Honda pop de cor preta; a guarnição ao realizar rondas pela cidade de Serraria/PB localizou e abordou os indivíduos, os quais não portavam nenhum ilícito, porem a motocicleta de marca HONDA POP 110I, ano/modelo 2018/2018, de cor preta, placa QSD 4668/PB, últimos números do chassi **********66743, onde a guarnição notou que a placa do referido veículo encontrava adulterada, em que os indivíduos colocaram em um dos números o primeiro 6 uma fita adesiva de cor preta, assim o alterando para o numeral 8, onde com a alteração numérica se tratava de um automóvel de marca FORD KA SE 1.0 HA B, ano/modelo 2018/2018, de cor prata, placa QSD 4868/PB, últimos números do chassi ********82026; que o suspeito não possuía documentos, tanto do veículo, como pessoais.  

PROVIDÊNCIAS: Compareceu ao local a guarnição da VTR 7659 R/P que conduziu o suspeito juntamente com o veículo até a delegacia de polícia da cidade de Solânea/PB, apresentados a autoridade policial para as providencias cabíveis. A guarnição da CPTRAN foi acionada e o veículo foi entregue aos cuidados da referida guarnição.

Blog do João Moura com Assessoria

Foto: Imagem Ilustrativa

O radialista Fabiano Gomes preso temporariamente na oitava fase da Operação Calvário e que teve a prisão prorrogada, cumpriu todo o período de detenção. Chega ao fim nesta quinta-feira (19) a determinação da justiça.

Fabiano Gomes foi recolhido para a Penitenciária Flósculo da Nóbrega (O Roger). O radialista foi preso porque estaria fazendo uso de canais de imprensa para atrapalhar as investigações, praticando extorsões contra terceiros que não teriam aceitado pagar vantagens indevidas por ele exigidas, além de constrangimentos sob a alegação de que revelaria conteúdo sigiloso, envolvendo a operação.

A prisão, de cinco dias, foi prorrogada a pedido do desembargador Ricardo Vital que alegou que diante da complexidade dos fatos investigados, elementos e provas, seria necessária uma avaliação mais minuciosa do efetivo grau de participação de Fabiano Gomes no suposto esquema criminoso.

Fonte: Paraiba.com.br

Na noite desta quarta-feira (18) a guarnição da 2ªCIA Alagoa Grande realizava rondas e abordagens pela cidade, quando visualizou um indivíduo em atitudes suspeitas, ao ser feita a aproximação, o acusado tentou se desfazer do material apreendido, que foi localizado após a busca pessoal e local. Tratava-se de dez embalagens pequenas de substância semelhante à crack ou cocaína(pedras).

O acusado foi preso e encaminhado à delegacia em Guarabira-PB, juntamente com o material apreendido, onde foram apresentados ao delegado plantonista, que lavrou o auto de prisão em flagrante por tráfico de drogas.

Blog do João Moura com Assessoria

A Polícia Federal na Paraíba deflagrou, na manhã desta quarta-feira (18), a Operação Pecúnia, com objetivo de combater associação criminosa dedicada ao comércio de notas falsas no Estado da Paraíba.

A operação contou com a participação de 15 policiais federais, sendo realizado o cumprimento de um mandado de busca e apreensão na residência do investigado, na cidade de Cabedelo/PB.

A ordem foi expedida pela 16a Vara Federal de João Pessoa.

ENTENDA O CASO

A investigação iniciou-se no meio do ano de 2019, a partir de denúncia anônima apresentada à Polícia Federal, no sentido de que determinadas pessoas estariam realizando a comercialização de cédulas falsas em grupos do aplicativo WhatsApp, e também pelas redes sociais.

Com o aprofundamento da investigação, uma pessoa foi presa em flagrante delito em 31/10/2019, quando recebia encomenda contendo mais de dois mil reais em moeda falsa, postada no Município de Mesquita/RJ, com destino à Campina Grande/PB.

Neste momento da investigação, a Polícia Federal realiza o cumprimento de busca e apreensão na residência de uma das pessoas apontadas como negociador das moedas falsas no Estado da Paraíba.

CRIMES INVESTIGADOS
O investigado responderá pelos crimes de moeda falsa e associação criminosa, cujas penas, somadas, podem superar 13 (treze) anos de reclusão.

NOME DA OPERAÇÃO
O nome da operação, PECÚNIA, se trata de sinônimo de dinheiro ou moeda. Não será concedida entrevista coletiva.

Fonte: Paraíba Já

Foto: Imagem Ilustrativa